Ipatinga

política

X FECHAR
ONDE VOCÊ ESTÁ?

    Em visita ao Plox, ex-prefeitos de Fabriciano contestam acusação de rombo na PREVCEL

    As irregularidades apontadas pela auditoria são referentes às três últimas gestões municipais

    Por Plox

    01/02/2019 16h49 - Atualizado há mais de 3 anos

    O ex-prefeito de Coronel Fabriciano-MG, Chico Simões (PT), procurou o Plox, na tarde desta quinta-feira (31), para comentar sobre uma entrevista coletiva ocorrida no início da tarde de ontem. A matéria versa sobre uma auditoria  que apontou um “rombo” de R$ 37 milhões no Instituto de Previdência Próprio de Coronel Fabriciano (PREVCEL). As irregularidades apontadas pela auditoria são referentes às três últimas gestões municipais.

    simoes(Foto: reprodução/ Plox)

    Chico Simões governou a cidade durante uma parte do tempo em que as tais irregularidades teriam ocorrido. Ele contesta o relatório e afirma que,quando assumiu o município,a PREVCEL já tinha um grande déficit. “O que nós queremos dizer com muita tranquilidade, quando nós pegamos Coronel Fabriciano, em 2005, onde a minha secretária de Governo, que foi a prefeita que me sucedeu, Rosângela Mendes, nós pegamos a PREVCEL, que foi criada pelo prefeito anterior, Paulo Antunes, em dezembro de 2002.  Nós entramos no início de 2005, só que o prefeito anterior constituiu a PREVCEL e não fez nenhum aporte. Estava uma coisa totalmente desorganizada. Tinha uma consultoria que era do Banco do Brasil e diante da falta de uma solução dada pelo banco, nós contratamos a Caixa Econômica Federal que nos orientou o que deveria ser feito”, esclareceu.

    O ex-prefeito ainda ressalta que a primeira coisa que a sua administração fez "foi renegociar a dívida com a PREVCEL que, naquele tempo, já acumulava quase R$ 2 milhões. A dívida foi parcelada em 35 meses e, religiosamente, pagamos este parcelamento com anuência do Ministério da Previdência Social, em Brasília", disse.

    40(Foto: reprodução/Plox)

    Quem também acompanhou Chico Simões à sede do Plox foi a ex-prefeita, Rosângela Mendes (PT). Ela, que governou durante outro trecho do período mencionado pela auditoria. Também se posicionou sobre o caso. “O Chico colocou muito bem a situação que ele encontrou em 2005 [deixada] pelo ex-prefeito, Paulo Antunes. Então essa dívida da PREVCEL foi renegociada, ele pagou rigorosamente no seu governo, fui sua sucessora e continuei fazendo o mesmo trabalho", sintetizou.

    20(Foto: Miguel Bráz)

    Rosângela esclareceu que em 29 de dezembro de 2016, ela fez um aporte de R$ 2,5 milhões para a PREVCEL, o que contribuiu para que a atual administração começasse a fazer a contribuição a partir do sexto mês. “A última parcela que eu fiz foi de R$ 517 mil dessa contribuição da PREVCEL para o fundo. Essa auditoria que está fazendo toda essa análise agora eu não sei onde eles encontraram isso, mas o que tiver de errado deve mandar sim para o Tribunal de Contas, para os ministérios e todos os órgãos e averiguar”, concluiu.

    30(Foto: reprodução/Plox)

    50(Foto: Miguel Bráz)

    PLOX BRASIL © Copyright 2008 - 2022[email protected]