Dengue: por que o Brasil ultrapassou 1 milhão de casos em 2 meses

Especialistas Alertam para a Pior Epidemia de Dengue da História, Impulsionada por Mudanças Climáticas e Desmobilização de Controle de Vetores.

Por Plox

01/03/2024 12h49 - Atualizado há cerca de 1 mês

O Brasil ultrapassou a marca de um milhão de casos prováveis de dengue apenas nos primeiros dois meses de 2024, uma situação alarmante que pode dobrar os registros do ano anterior, segundo previsões do Ministério da Saúde. Especialistas consultados destacam que esta pode ser a pior epidemia de dengue na história do país, com múltiplos fatores contribuindo para o cenário atual.

Arquivo ABr

Fatores Contribuintes para o Aumento

Entre as principais razões para o aumento expressivo dos casos de dengue estão as mudanças climáticas, que trouxeram chuvas antecipadas e temperaturas mais elevadas, favorecendo a reprodução do mosquito Aedes aegypti. Além disso, a desmobilização dos esforços de controle de vetores durante a pandemia de Covid-19 e a resposta lenta dos governos no combate à epidemia foram determinantes.

Desafios no Controle da Dengue

A infraestrutura de vigilância enfrentou reduções significativas nos últimos anos, com um declínio no número de agentes de endemias e na expertise para a vigilância epidemiológica. Especialistas apontam que a falta de mobilização social e de investimento em formação de recursos humanos agrava a situação.

Medidas Governamentais e Mobilização Social

O Ministério da Saúde anunciou a realização do Dia D, uma mobilização nacional focada na prevenção e eliminação dos focos do mosquito. Contudo, especialistas argumentam que ações pontuais têm impacto limitado e que a prevenção deve ser uma constante. A reintrodução de políticas de mobilização social e controle urbano é vista como crucial para o combate efetivo à dengue.

Perspectivas e Soluções

Embora ações imediatas possam atenuar a curva epidemiológica, a eliminação da transmissão da dengue exige uma abordagem ampla, envolvendo tanto esforços individuais quanto coletivos. Soluções como o projeto Wolbachia e o desenvolvimento de vacinas são destacadas, mas exigem tempo para implementação e cobertura adequada.

Destaques