Febre do Oropouche: saiba os sintomas, tratamento e causas para a doença

Morador da Zona Sul com histórico de viagem ao Amazonas é diagnosticado com a doença, semelhante à dengue

Por Plox

01/03/2024 09h59 - Atualizado há cerca de 1 mês

O Rio de Janeiro enfrenta um novo desafio de saúde pública com a confirmação do primeiro caso de Febre Oropouche na cidade. A Secretaria de Estado de Saúde do Rio identificou um homem de 42 anos, residente na Zona Sul e com recente viagem ao Amazonas, como o paciente afetado. Esta doença, embora pouco conhecida fora da região amazônica, onde surtos têm sido registrados desde a década de 1970, agora chama a atenção para a necessidade de vigilância em outras partes do Brasil.

Divulgação | Agricultural Research Service

Entendendo a Febre Oropouche

A Febre de Oropouche é causada por um arbovírus e transmitida principalmente pela picada de mosquitos, incluindo o Culicoides paranensis, mais conhecido como Maruim. Os sintomas são similares aos da dengue e incluem dor de cabeça, dor muscular, dor nas articulações, náusea e diarreia. A semelhança com outras doenças como a dengue e a chikungunya torna crucial que os profissionais de saúde realizem um diagnóstico preciso por meio de avaliação clínica, epidemiológica e laboratorial.

Diagnóstico e Prevenção

O diagnóstico da Febre do Oropouche combina análises clínicas, epidemiológicas e laboratoriais. Dada a ausência de um tratamento específico, o Ministério da Saúde enfatiza a importância do repouso, do tratamento sintomático e do acompanhamento médico para os pacientes. Para prevenir a disseminação da doença, recomenda-se evitar áreas com alta concentração de mosquitos, utilizar roupas que cubram a maior parte do corpo, aplicar repelente nas áreas expostas da pele e manter o ambiente limpo, evitando possíveis criadouros de mosquitos.

Destaques