Brasileiro mora por 5 anos em hotel de Nova York, de graça, e coloca prédio em seu nome

Caso vai parar na Justiça e ganha projeção nacional

Por Plox

01/04/2024 07h29 - Atualizado há 16 dias

Um caso chamou a atenção em Nova York: um brasileiro, Mickey Barreto, se declarou proprietário de um hotel inteiro após residir no local por cinco anos sem custos, desencadeando uma batalha legal. Este episódio ganhou projeção nacional quando Barreto compartilhou sua história com o programa Fantástico.

Reprodução

 

Moradia gratuita se transforma em reivindicação de propriedade

O New Yorker Hotel, conhecido por suas acomodações custosas, foi palco de uma história incomum. Mickey Barreto, um brasileiro, habitou no hotel sem pagar aluguel por cinco anos. Ele argumenta que, devido a uma interpretação particular da lei de aluguel de Nova York, tornou-se dono do prédio. O hotel, por sua vez, acusa Barreto de fraude.

Em uma defesa marcada por alegações extravagantes, Barreto se identifica como "Cristóvão Colombo Segundo" e líder de uma tribo indígena fictícia, ampliando o surrealismo do caso.

A lei de aluguel e a conquista da moradia

Barreto se aproveitou de uma lei específica de Nova York que favorece moradias de longo prazo em hotéis construídos antes de 1969 com tarifas acessíveis. Segundo esta legislação, hotéis com diárias inferiores a 88 dólares naquele ano são obrigados a oferecer contratos de locação de seis meses, permitindo aos hóspedes se tornarem residentes permanentes.

Controvérsias e consequências legais

Apesar de inicialmente conseguir morar no hotel sob essas condições, a situação escalou quando Barreto alegou ser o legítimo dono do New Yorker, baseando-se em uma interpretação distorcida da lei de posse versus propriedade. Sua ação levou a um confronto direto com a administração do hotel, inclusive demandando aluguel do restaurante do hotel e solicitando reformas.

A justiça de Nova York acabou por despejar Barreto, que agora reside com Matthew Hannan, autointitulado "Dom Fernando". Barreto, mantendo sua linha de raciocínio fantástico, afirma ser dono das Américas, com Hannan possuindo os Estados Unidos e Canadá.

Destaques