Ipatinga

política

X FECHAR
ONDE VOCÊ ESTÁ?

    Ministro Luís Roberto Barroso destaca segurança do processo eleitoral durante evento

    Palestra foi preferida em solenidade de entrega da Medalha Vaz de Mello ao presidente do TSE

    Por Plox

    01/06/2021 15h06 - Atualizado há 5 meses

    Nesta segunda-feira (31), o Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais homenageou o ministro Luís Roberto Barroso, integrante do STF e presidente do TSE, com a entrega simbólica da Medalha do Mérito Eleitoral Desembargador Vaz de Mello. A insígnia foi concedida em reconhecimento e agradecimento pelos relevantes esforços empreendidos pelo homenageado a serviço da Justiça Eleitoral.

    Foto: Arquivo/Agência Brasil

     

    Devido à pandemia de covid-19, a solenidade foi realizada de forma virtual, com transmissão ao vivo no canal do TRE no YouTube. A medalha e o certificado serão encaminhados ao homenageado, uma vez que o cenário atual da pandemia não permite o encontro entre os dirigentes do Tribunal e o ministro.

    O desembargador Rogério Medeiros, que integrou o Conselho da Medalha quando presidiu o TRE-MG entre junho de 2019 e junho de 2020, e foi quem indicou o nome do homenageado, foi o primeiro a se manifestar. Iniciou afirmando que “a mineiridade foi decisiva no momento em que escolhemos o ministro Barroso para receber a medalha, antes ainda do isolamento social”. Destacou as qualidades do homenageado, que conduziu com serenidade e sabedoria o pleito municipal de 2020, com presença firme e consoladora nas reuniões para que o pleito se realizasse em meio à terrível pandemia. Concluiu afirmando que “além da sua vasta cultura geral, o homenageado se apresenta com um brasileiro de bem e um magistrado de escol.”

    Em seu pronunciamento, o desembargador Alexandre Victor de Carvalho, presidente do TRE, inicialmente ressaltou a brilhante formação acadêmica e o currículo do ministro, com uma vida dedicada ao saber a ao conhecimento. Destacou, também, “a precisa e incansável atuação de Vossa Excelência para assegurar EPIs a mesárias, mesários e demais pessoas envolvidas na realização das eleições de 2020, trazendo inconteste segurança ao dia do pleito, assim como a enfática defesa (...) em prol da urna eletrônica e do sistema eletrônico de votação vigente, sem a necessidade de impressão do voto, e o ferrenho empenho no enfrentamento à desinformação, usualmente conhecida pelo termo fake news.

    O desembargador Marcos Lincoln dos Santos, vice-presidente e corregedor do TRE, também falou sobre a atuação incansável do ministro à frente das Eleições 2020 e as decisões firmes "que permitiram a realização do pleito mesmo em um cenário de tantas preocupações". E agradeceu a ele "por sua seriedade, assertividade e competência, referenciais para todos nós".

    O agraciado, ministro Luís Roberto Barroso, agradeceu a homenagem e dedicou a “toda a família da Justiça Eleitoral, não apenas os desembargadores e juízes, mas também aos valorosos servidores, extensivo aos mesários, sobretudo os voluntários“. Em seguida, proferiu a palestra “Processo eleitoral, sistema eleitoral e desinformação”.

    Afirmou que o processo eleitoral brasileiro é seguro, transparente e auditável em cada uma das suas etapas, desde o desenvolvimento do programa, inseminação das urnas, o dia da eleição (impressão da zerésima). Mencionou os convites a todas as instituições representativas da sociedade para acompanhar o processo, destacando o teste público de segurança. Quanto à urna eletrônica, adotada desde 1996, “jamais se documentou qualquer episódio de fraude, o que sabidamente havia antes dessa implantação”.

    Disse, mais, que tem o receio da judicialização do processo judicial com o modelo que hoje se discute no Congresso Nacional. E finalizou afirmando que “quem não confia na urna, não pode confiar no voto impresso”.

    No tocante ao sistema eleitoral, no seu entender, ele avançou com duas medidas aprovadas pelo Congresso: a cláusula de barreira e a proibição de coligação em eleições proporcionais. E disse que a limitação do número de partidos, que ocorrerá com a cláusula de barreira, tornará o país mais governável.

    Quanto ao atual sistema proporcional em lista aberta, o homenageado defende a posição do TSE de adoção do voto distrital misto. Segundo o palestrante, na lista aberta o eleitor vota em quem ele quer, mas elege quem ele não sabe, já que o voto vai para o partido. “Precisamos baratear o custo das eleições, aumentar a representatividade e facilitar a governabilidade, o que pode ocorrer no distrital misto, pois voto no candidato do meu distrito e saberei de quem cobrar, e o candidato fará campanha só no distrito”, ponderou o ministro Barroso.

    Por fim, refletiu sobre a questão da desinformação, “que é um problema do nosso tempo, da revolução tecnológica, digital, que une bilhões de pessoas. A internet trouxe muitos proveitos. Mas há um subproduto, com as campanhas de ódio, de racismo, de tentativa de destruição de reputação, de desinformação. A inundação da desinformação faz mal à democracia. Democracia não tem lugar para a intolerância, para a violência e a não aceitação do outro”.

    E a melhor maneira de enfrentar a desinformação é inundando o mercado com informações verdadeiras. Devemos ter compromisso com a verdade possível, difundir informação verdadeiras.

    Também participaram da solenidade virtual, entre outras autoridades, os integrantes titulares e substitutos da Corte Eleitoral mineira; o presidente do STJ, ministro Humberto Martins; os ministros do TSE Benedito Gonçalves e Carlos Mário da Silva Velloso Filho; o terceiro vice-presidente do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG), desembargador Newton Teixeira Carvalho, representando o presidente do TJMG; e os presidentes dos Tribunais Regionais Eleitorais, desembargadores Waldir Sebastião de Nuevo Campos Júnior (SP), José James Gomes Pereira (PI), Gilson Barbosa de Albuquerque (RN);

    Medalha

    A Medalha do Mérito Eleitoral Desembargador Vaz de Mello foi instituída em 1999, para homenagear personalidades e instituições que tenham contribuído para a valorização e desenvolvimento da Justiça Eleitoral em Minas Gerais. O nome é uma homenagem ao desembargador José Norberto Vaz de Mello, que foi presidente do TRE-MG em 1988 e faleceu em 2013.

    Desde sua criação, a Medalha já foi entregue a ministros do Tribunal Superior Eleitoral, magistrados, advogados, servidores do Tribunal e instituições do Poder Público. A homenagem é feita anualmente. A entrega da Medalha ao ministro Luís Roberto Barroso, presidente do TSE, foi proposta pelo desembargador Rogério Medeiros, que presidiu o TRE entre junho de 2019 e junho de 2020, e se refere ao ano de 2020. Em razão da pandemia de covid-19, a entrega ocorreu, de forma simbólica, nesta segunda.

    PLOX BRASIL © Copyright 2008 - 2021[email protected]