Dez dias antes de morrer, aluno de engenharia realiza formatura em hospital em SP

Paulo César Gazaro, diagnosticado com câncer terminal, recebeu diploma em cerimônia organizada no Hospital Salvalus, em São Paulo, antes de falecer aos 45 anos.

Por Plox

01/06/2024 11h58 - Atualizado há cerca de 1 mês

Paulo César Gazaro, de 45 anos, faleceu nesta quinta-feira (30) após uma batalha de 11 meses contra um câncer no intestino. Natural de Santa Catarina, ele realizou o sonho de se formar em Engenharia Civil dez dias antes de sua morte, em uma cerimônia especial no Hospital Salvalus, na Zona Leste de São Paulo.

Foto: Acervo pessoal

Diagnosticado com câncer em estágio avançado, Paulo estava no último semestre do curso na UniFECAF. A universidade, sensibilizada com a situação, adiantou todas as avaliações pendentes para que ele pudesse se formar a tempo. "Mobilizei todo mundo dentro da nossa instituição para a gente acelerar o caso dele, acelerar as provas, as atividades avaliativas. Ele não tinha até o final de junho", explicou Marcel Gama, vice-reitor da UniFECAF.

Cerimônia hospitalar emocionante

A formatura foi organizada por sua esposa, Graziela Gonçalves Gazaro, junto com médicos, funcionários do hospital e coordenadores da faculdade. Realizada no dia 20 de maio, a cerimônia contou com beca, canudo e a presença de amigos e professores. Paulo, debilitado, conseguiu se sentar em uma cadeira de rodas para participar do evento.

“Foi um dia muito lindo e especial. No dia seguinte, ele já fazia planos para assinar projetos junto comigo, de construir coisas. Por um momento parecia que não tinha nada. Era um desejo tão legítimo, de um esforço tão genuíno, que até me emociono...”, relatou Graziela.

Luta e legado

Paulo enfrentou nove sessões de quimioterapia e imunoterapia, que infelizmente não conseguiram conter a progressão da doença, já espalhada pelo fígado, abdômen e bexiga. Apesar da gravidade, ele manteve uma atitude positiva e focada na recuperação. "Ele morreu sem saber da gravidade da doença, porque ele não queria saber. Acreditava muito na cura e fazia planos para depois de formado. Dizia que apenas estava com uma doença e, por isso, iria vencer e seguir a vida", disse Graziela.

Para Graziela, a perseverança de Paulo durante o tratamento, enquanto continuava seus estudos, deixou um legado inspirador. "Meu marido foi um exemplo de garra, determinação e coragem. Tanta gente que não se sente motivada para crescer, estudar e conquistar seus sonhos e ele, mesmo tão doente, no leito do hospital, fazendo da educação a sua terapia."

Paulo e Graziela estavam juntos desde 2007 e compartilharam 17 anos de vida em comum, enfrentando desafios e celebrando conquistas. Ele foi cremado na sexta-feira (31), em uma cerimônia reservada no Cemitério Valle dos Reis, em Taboão da Serra, na Grande São Paulo.

Homenagens e lembranças

A história de Paulo foi amplamente homenageada. Nas redes sociais, a UniFECAF chamou o aluno de "nosso eterno engenheiro" e destacou sua determinação e persistência como exemplo para todos. "O Paulo será um eterno exemplo de persistência, sinônimo da palavra 'sonhador'. Que a história dele sirva de aprendizado e inspiração para todos que têm um sonho a realizar. A UniFECAF lamenta o falecimento do nosso querido aluno e deseja força para todos os familiares e amigos. Você conseguiu, Paulo! Nosso eterno engenheiro!", afirmou a instituição.

Graziela, em sua despedida, refletiu sobre a coragem e a determinação do marido, e prometeu manter viva a memória de sua luta e dedicação. "Quando a gente quer, a gente consegue. Quando a gente quer, não abandona um sonho", declarou emocionada.

Destaques