Criptomoeda criada pelo Facebook vai derrubar o Bitcoin?

01/07/2019 09:10

O principal objetivo de sua nova moeda é fornecer ao mundo um sistema financeiro global que facilitará a vida das pessoas que não possuem acesso ao atual modelo bancário

Publicidade

A maior rede social do mundo, o Facebook, que possui mais de 2 bilhões de usuários resolveu juntamente com outras 27 empresas, lançar sua própria criptomoeda, a Libra e ameaçar a hegemonia do Bitcoin e até mesmo ressignificar o sistema financeiro mundial. 

 

De acordo com a nova fundação sem fins lucrativos chamada Libra Association, o principal objetivo de sua nova moeda é fornecer ao mundo um sistema financeiro global que facilitará a vida das pessoas que não possuem acesso ao atual modelo bancário, oferecendo uma criptomoeda 100% lastreada em moeda fiat e títulos de dívidas formando uma espécie de fundo para garantir a estabilidade do preço da moeda.

 

Divulgaçãolibra-facebook

 

O especialista em criptomoedas Maicon Santos comenta que a nova moeda do Facebook no entanto, apesar de toda a força da rede social, pode ainda não ser páreo para o Bitcoin: "Uma criptomoeda que que nasce de uma empresa como o Facebook e com parceiros como MasterCard e Paypal parece um bom concorrente para o Bitcoin correto? Bom, na verdade nem tanto. Agora, se analisarmos o fato de que o Facebook, o Whatsaap e o Instagram possuem juntos mais de 2.5 bilhões de usuários e que com o projeto da LIBRA estes usuários serão expostos as criptomoedas e ao bitcoin, podemos chegar a conclusão de que esse mercado ainda tem muito para crescer”, disse.

 

Maicon Santos avalia os prós e os contras da criação da nova criptomoeda: "o fato de que uma das maiores empresas do mundo estar prestes a lançar a sua própria criptomoeda trás confiança e demonstra a grande tendência da digitalização do dinheiro através da Blockchain. Por outro lado sabemos dos problemas que o Facebook teve em relação a manter a privacidade e sigilo dos dados de seus usuários. Agora o Facebook não terá apenas seus dados e preferências, mas também saberá onde você gasta seu dinheiro. Eu entendo que uma associação foi criada para tentar desvincular a posse da moeda ao Facebook, mas ainda está em questão se a empresa terá acesso a todos os dados coletados através dessa iniciativa. Inicialmente a Libra será uma moeda centralizada e sem nenhum anonimato, o que comparando ao Bitcoin deixa bastante a desejar”.

 

Divulgaçãobitcoin-2007912 1920

 

Em relação ao mercado global de criptomoedas, Maicon enxerga a entrada do Facebook como positiva. "Eu vejo a criação dessa nova moeda como algo muito positivo para o mundo e também para o mercado de criptomoedas como um todo. Teremos a partir de 2020 a maior rede de pagamentos que a humanidade já viu, tornando a vida de todos mais fácil e interligada. Estamos tendo o privilégio de presenciar uma das maiores mudanças da história. Nos próximos anos a forma como lidamos com dinheiro irá mudar para melhor e isso já é um caminho sem volta”, finalizou.
 



Publicidade