A importância da hidratação: dicas essenciais para consumir água corretamente

Nutricionista orienta sobre cuidados na conservação, tratamento e ingestão da água

Por Plox

01/07/2024 09h09 - Atualizado há 18 dias

A hidratação adequada é fundamental para a saúde, especialmente durante períodos de baixa umidade, quando o risco de desidratação aumenta significativamente. Edith Zulato, nutricionista e integrante do Conselho Regional de Nutricionistas da 9ª Região (CRN9), destaca a importância da água: "Água é fundamental. Da mesma forma que temos que respirar, temos que beber água". Ela ressalta que a falta de hidratação pode levar a complicações como câimbras, tonturas e alterações neurológicas.

Zulato explica que a água é essencial para transportar nutrientes, eliminar toxinas e manter a temperatura corporal. "A água é como se fosse o nutriente ‘número 1’ do nosso organismo, afinal, é a responsável por levar todos os nutrientes para o nosso corpo". Além disso, a água auxilia na manutenção da musculatura, incluindo órgãos vitais como coração, fígado e rins.

Apesar da importância da água, muitas pessoas ainda negligenciam sua hidratação e cometem erros na forma de consumo. Um estudo em Campinas, São Paulo, revelou problemas de higienização em garrafas reutilizáveis, indicando a presença alarmante de bactérias. A nutricionista sugere um consumo gradual de água ao longo do dia para evitar sobrecarga no organismo.

Para determinar a quantidade ideal de água, Zulato recomenda um cálculo baseado no peso corporal: "Basta multiplicar o seu peso por 35 para saber quantos mL's do líquido devemos consumir". Além disso, ela aconselha evitar a ingestão de grandes volumes de água de uma vez e reduzir a quantidade consumida à noite para não prejudicar o sono.

A qualidade da água também é crucial. Zulato adverte contra o consumo direto da torneira devido ao risco de contaminação por bactérias. Mesmo em grandes centros urbanos, onde a água costuma ser tratada, o uso de filtros é recomendado para reduzir impurezas. Em áreas sem tratamento adequado, a fervura da água antes da filtração é aconselhável.

Outra questão relevante é o tipo de recipiente utilizado para armazenar água. Edith Zulato recomenda o uso de garrafas de vidro ou aço inox, que são mais fáceis de limpar e não liberam metais pesados. Garrafas de plástico, especialmente as inadequadas para reutilização, podem conter BPA (bisfenol A), uma substância tóxica que pode contaminar a água.

Um estudo realizado pela Faculdade de Biomedicina da UniMetrocamp, em Campinas, revelou que garrafas reutilizadas sem a devida higienização podem abrigar mais bactérias do que um assento de vaso sanitário. A pesquisa encontrou milhares de bactérias e fungos nas partes internas e bocais das garrafas analisadas. Para evitar essa contaminação, é essencial lavar as garrafas com detergente, esponja específica e escova de mamadeira.

O médico infectologista Guilherme Otávio Varino Cornelio complementa as orientações, destacando a importância da filtragem ou fervura da água da torneira para eliminar contaminantes. Ele também aconselha o uso de garrafas transparentes para facilitar a visualização do conteúdo e recomenda a lavagem diária dos recipientes com água e sabão neutros.

Em relação à reutilização de garrafas plásticas, Cornelio alerta que essas não foram projetadas para uso prolongado e podem liberar substâncias nocivas. Ele sugere o uso de garrafas de vidro ou acrílico livres de bisfenol A (BPA free) para uma opção mais segura e ambientalmente responsável.

Para a higienização de mamadeiras e utensílios infantis, Cornelio recomenda desmontar as peças, lavar com água e sabão neutro, enxaguar bem, ferver por alguns minutos e secar ao ar livre, evitando panos que podem contaminar.

Com essas orientações, é possível garantir uma hidratação mais segura e eficaz, preservando a saúde e o bem-estar.

Destaques