Dólar fecha em alta histórica de R$ 5,65 impulsionado por cenário político nos EUA e críticas de Lula

Cotação dispara com perspectiva de vitória de Trump e declarações de Lula

Por Plox

01/07/2024 21h35 - Atualizado há 16 dias

O dólar encerrou esta segunda-feira (1°) em alta de 1,16%, cotado a R$ 5,6533, marcando o maior valor de fechamento desde 10 de janeiro de 2022, quando a moeda foi cotada a R$ 5,6743. Durante as negociações do dia, o dólar chegou a atingir R$ 5,6578, consolidando o quinto pregão consecutivo de valorização e acumulando um ganho de 16,48% no ano.

Marcelo Casal JR Agência Brasil

Impactos políticos e econômicos influenciam alta do dólar

A valorização do dólar ocorreu em meio a uma série de fatores políticos e econômicos. Os analistas atribuem o movimento ao aumento das chances de vitória de Donald Trump nas próximas eleições presidenciais dos Estados Unidos, especialmente após o desempenho insatisfatório do presidente Joe Biden em um debate na semana passada. Além disso, a Suprema Corte dos EUA determinou que Trump tem direito a imunidade parcial em processos judiciais, o que favoreceu ainda mais sua posição na corrida presidencial.

Outro fator crucial foi a valorização dos rendimentos dos treasuries, títulos do tesouro norte-americano. A crescente demanda por esses títulos é vista como um reflexo da confiança dos investidores na economia dos EUA, mesmo diante das incertezas políticas.

Desempenho do real e críticas de Lula ao Banco Central

No cenário interno, o real teve o pior desempenho entre as principais moedas internacionais nesta segunda-feira. As críticas do presidente Luiz Inácio Lula da Silva ao Banco Central também pesaram no mercado. Lula tem manifestado descontentamento com a política monetária adotada pela instituição, o que adiciona um componente de incerteza ao cenário econômico brasileiro.

Destaques