Prefeitura de Fabriciano esclarece rumores sobre interdição de UTI’s Covid

01/08/2020 15:23

Segundo um documento que circula nas redes sociais, o município teria as UTI’s Covid interditadas

A Prefeitura de Coronel Fabriciano-MG esclareceu os rumores de que as Unidades de Tratamento Intensivo (UTI) Covid-19, do Hospital Dr. José Maria de Morais, gerido pela Prefeitura, teriam sido interditadas por falta de equipamentos.

De acordo com um documento, que começou a circular nas redes sociais neste sábado (1), os leitos de UTI Covid-19, do HJMM estariam interditados, devido a falta de um equipamento de hemodiálise.

O documento, do qual ainda não se tem a confirmação de veracidade, afirma ainda que estariam suspensas as “admissões de novos pacientes, até que seja feita a regularização do serviço, de forma a garantir assistência clínica nefrológica”.

Após a circulação da mensagem, o Plox entrou em contato com a assessoria da Prefeitura de Coronel Fabriciano, responsável pela gestão do hospital. Em nota, a Prefeitura informou que nessa sexta-feira (31), “foi surpreendida por uma notificação da Vigilância Sanitária da Superintendência Regional de Saúde (SRS), questionando uma denúncia anônima da falta de equipamento de hemodiálise”.

 

Hospital-JMM-fabri-divulgaçãoA Prefeitura afirmou que o município também realizou empenho para a compra de mais três máquinas de hemodiálise, e que se essa máquinas estão em processo de entrega, para o HJMM. Foto: divulgação PMCF
 

A Prefeitura afirmou que o Hospital Dr. José Maria de Morais dispõe de um equipamento no Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde (CNES) 7082886 e, com o aumento de casos devido a pandemia, o equipamento apresentou problemas técnicos, que imediatamente foram solucionados e inclusive continua atendendo pacientes internados com Covid-19.

O Executivo afirmou ainda que o município também realizou empenho para a compra de mais três máquinas de hemodiálise, e que se essa máquinas estão em processo de entrega.

 

02 06 2020 SAÚDE Prefeiutura de Fabriciano entrega 40 leitos para tratar Covid19 (3)Prefeitura afirmou que foi notificada pela SRS, questionando uma denúncia anônima da falta de equipamento de hemodiálise na UTI Covid. Foto: divulgação/PMCF
 

Por fim, a Prefeitura informou que lamenta “a atitude da SRS, que neste momento de pandemia pode nos impedir de garantir atendimento à nossa população, e continua trabalhando de forma responsável”.

Veja a nota na íntegra

A prefeitura de Coronel Fabriciano responsável pela administração do Hospital Dr. José Maria Morais, esclarece que nesta sexta-feira, 31/07, foi surpreendida por uma notificação da Vigilância Sanitária da Superintendência Regional de Saúde (SRS), nos questionando uma denúncia anônima da falta de equipamento de hemodiálise.

Informamos que o HJMM dispõe de 01 equipamento no Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde (CNES) 7082886. Com o aumento de casos devido a pandemia, o mesmo apresentou problemas técnicos que imediatamente foram solucionados e inclusive continua atendendo pacientes internados com Covid-19.

Como forma de garantir tranquilidade aos nossos pacientes o hospital, por meio da Secretaria de Governança da Saúde também realizou empenho com recursos próprios para a compra de mais três máquinas de hemodiálise e que se encontra em vias de entrega. 

O Hospital Dr. José Maria Morais em tempos de pandemia trabalhou incansavelmente na ampliação do espaço físico para 59 leitos. Temos nos tornado referência na prestação de serviço em enfrentamento a Covid-19, e arcando com as despesas com recursos próprios, com exceção dos últimos respiradores doados pelo governo do Estado de Minas Gerais,  que inclusive tem uma dívida com o hospital de R$ 12 milhões de reais. Mesmo assim, não temos deixado de prestar um atendimento humanizado e responsável aos pacientes.  

Lamentamos a atitude da SRS, que neste momento de pandemia pode nos impedir de garantir atendimento à nossa população, e reforçamos que atualmente apresentamos uma taxa de letalidade de 1,52%, e continuamos trabalhamos de forma responsável.