Ipatinga

polícia

X FECHAR
ONDE VOCÊ ESTÁ?

    Garoto de 12 anos é suspeito de matar menina de 9 amarrada em árvore

    Ele assumiu a morte da menina, mas mudou versões aos policiais. Garoto será apreendido

    Por Plox

    01/10/2019 18h25 - Atualizado há cerca de 2 anos

    O menino de 12 anos que disse ter encontrado morta Raíssa Eloá Caparelli Dadona, de apenas 9 anos, pendurada pelo pescoço em uma árvore, deve ser apreendido pela polícia, por ordem da Justiça de São Paulo, que expediu o mandado de internação provisória.

    A garotinha estava com a mãe Vânia Caparelli e o irmão menor, em uma festa do Centro Educacional Unificado (CEU), no último domingo, 29 de setembro. A mãe deixou Raíssa no pula-pula enquanto comprava pipoca. Quando voltou, a menina tinha desaparecido. O garoto de 12 anos a encontrou, pouco tempo depois, no Parque Anhanguera, que fica a dois quilômetros do CEU. A entrada no espaço é restrita a funcionários. Ele mesmo avisou à administração do parque sobre onde estava o corpo, que estava com muito sangue no rosto e lesão no ombro.

    Imagens divulgadas pela TV Globo mostram menina de mãos dadas com adolescente suspeito - Reprodução

    Câmeras de segurança na região flagraram Raíssa caminhando de mãos dadas com um menino- Foto: Reprodução/Vídeo

    O garoto é suspeito de ter envolvimento na morte de Raíssa, que tinha autismo. Inicialmente, ele havia dito à polícia que a viu no parque e assumiu tê-la matado, mas depois deu outras versões. À mãe dele, depois do crime, o adolescente disse que matou Raíssa. Já, na delegacia, ele afirmou que um homem em uma bicicleta o ameaçou com uma faca, o coagindo a ajudá-lo a assassinar a menina. Câmeras de segurança na região flagraram Raíssa caminhando de mãos dadas com o que parece ser o garoto de 12 anos. Dona Vânia, mãe da menina, afirmou que ela era uma criança tímida e não tinha confiança em pessoas desconhecidas.

    O garoto prestou depoimento no Departamento Estadual de Homicídios e de Proteção à Pessoa (DHPP) ontem à noite, 30, e foi até a Promotoria da Infância e Juventude na manhã de hoje, 1º de outubro. As autoridades seguem investigando o caso.

    Menina Raíssa estava em uma festa com a mãe e o irmão antes de ser morta-Foto: Arquivo Pessoal

    PLOX BRASIL © Copyright 2008 - 2021[email protected]