Ipatinga

turismo

X FECHAR
ONDE VOCÊ ESTÁ?

    Iniciadas as tratativas para transformar Foz do Iguaçu em destino turístico halal

    Os encontros com as autoridades e representantes aconteceram nos dias 28 e 29 de outubro.

    Por Plox

    01/11/2021 13h15 - Atualizado há 28 dias

    A Cdial Halal e a Câmara de Comércio Árabe-Brasileira deram os primeiros passos para a definição do plano de trabalho que adaptará Foz do Iguaçu para se tornar o primeiro destino turístico halal da América Latina. Os encontros do CEO da Cdial Halal, Ali Saifi, e do vice-presidente das Relações Internacionais da Câmara de Comércio Árabe-Brasileira (CCAB), Mohamad Orra Mourad, com autoridades e representantes do setor do comércio e turismo aconteceram nos dias 28 e 29 de outubro.

    Foto: Christian Rizzi / Reunião de Ali Saifi (à esquerda) e Mohamad Mourad com o prefeito Chico Brasileiro para definir adaptações nas redes hoteleira, gastronômica e de serviços

     

    Para Ali Saifi, os encontros foram muito produtivos para realizar um alinhamento do que foi acordado em Dubai. “Foz do Iguaçu já tem muitos atrativos e a adaptação ao halal será mais um deles, o que possibilitará atender a população de origem árabe-mulçumana, que representa quase um 1/3 da população mundial”. E completa: “Há um potencial enorme para Foz do Iguaçu quando todos os setores ligados ao turismo estiverem adaptados. Temos a convicção de um incremento no desenvolvimento e na movimentação da economia que vai beneficiar toda a região”.

    Encontros com autoridades locais

    A agenda teve início com o prefeito de Foz do Iguaçu, Chico Brasileiro, e com o diretor de Assuntos Internacionais Jihad Abu Ali. Na ocasião, foram apresentadas informações sobre a cidade e debatidos os protocolos halal que deverão ser adaptados pelas redes hoteleira, gastronômica e de serviços.

    O prefeito destacou o dinamismo e efetividade para dar início ao projeto que foi assinado em Dubai. “Já fomos muito elogiados por termos tido avanços tão significativos sobre os temas tratados na ExpoDubai. A transformação em destino Halal servirá para quebrar barreiras e tornar a estadia mais confortável para esse público, que já pertence à nossa cidade”, ressalta o prefeito.

    Hoje a população de origem árabe-mulcumana de Foz do Iguaçu é a segunda maior do Brasil, gira em torno de 20 mil pessoas. “A cultura árabe já está enraizada em Foz do Iguaçu, nos sentimos em casa. Isso agora será ampliado também aos visitantes e a cidade terá muito a ganhar futuramente”, afirma Mohamad Murad.

    Festival das Cataratas

    Segundo o secretário de Turismo e Projetos Estratégicos, Paulo Angeli, as próximas ações devem ter início ainda em 2021, já que haverá uma apresentação das propostas durante o Festival das Cataratas, realizado entre os dias 1ª a 3 de dezembro.

    “Ouvimos diversas propostas que abrem a nossa mente a pensar de uma forma diferente. Isso abre um leque imenso para a criação de empregos, nos posiciona com êxito na retomada do turismo e incentiva o trabalho. Isso não pode ficar só no papel, queremos ver a prática”, afirma o Angeli.

    Ele explica que será necessário realizar um treinamento de equipes para abordagem e atendimento adequados ao público muçulmano. O treinamento é voltado aos setores turísticos e de serviços, como hotéis, restaurantes, quiosques e similares.

    Estabelecimentos certificados 

    O CEO da Cdial Halal explica que o próximo passo do projeto é a certificação dos locais como um destino halal. “Com a certificação, o turista terá a tranquilidade em relação à qualidade, confiabilidade e rastreabilidade do produto ou serviço que esteja consumindo”, destaca Ali.

    A agenda dos representantes árabes contou ainda com reuniões com os membros do Conselho Municipal de Turismo (Comtur), a Codefoz (Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social de Foz do Iguaçu), que reúne organizações públicas e privadas para propor projetos que promovam o desenvolvimento sustentável de Foz do Iguaçu, e a Acifi (Associação Comercial e Industrial de Foz do Iguaçu), além de alinhamento desse projeto com a diretoria da Mesquita de Foz do Iguaçu.

    Grupo de Trabalho 

    Ali explica que todos os envolvidos nos dois dias de encontro irão nomear representantes que integrarão o grupo de trabalho responsável por colocar em prática essas ações. O grupo será composto por representantes da Prefeitura, por meio da Secretaria de Turismo e Diretoria de Assuntos Internacionais, Acifi, CodeFoz, Comtur, Câmara de Vereadores e da Mesquita.

    “A receptividade de todos os envolvidos foi melhor do que esperávamos. Todos estão empolgados com este projeto e as possibilidades que tendem a beneficiar tanto os turistas árabes-mulçumanos, que se sentirão ainda mais acolhidos e atraídos por Foz do Iguaçu, como a movimentação do turismo e, consequentemente, da economia da região”, pontua Ali.

    Sobre o acordo 

    O protocolo assinado em Dubai entre o município de Foz de Iguaçu e a Câmara de Comércio Árabe-Brasileira, foi intermediado pela Cdial Halal e Grupo Invest Paraná, com apoio do governador do Paraná, Carlos Massa Ratinho Junior. O protocolo prevê treinamento de equipes para abordagem e atendimento adequados a este público, com capacitação que envolve a alimentação halal, questões culturais, dentre outros.

    Comunidade Árabe em Foz do Iguaçu 

    A comunidade árabe-muçulmana de Foz do Iguaçu e Ciudad del Este (Paraguai) começou a ser formada em 1950 e ganhou força na década de 1980, com a construção da Itaipu Binacional. Em 1983, foi aberta a Mesquita Omar Ibn Khatab, a maior da América Latina. Um dos fatores que estimulou a migração muçulmana para a Tríplice Fronteira (incluindo a Argentina), é o fato das empresas que realizam abate de aves e bovinos seguirem os preceitos halal. Aproximadamente 25 mil cidadãos árabe-muçulmanos, incluindo descendentes, residem atualmente na região. Foz do Iguaçu tem sua população formada por 81 etnias e possui a segunda maior comunidade de origem árabe do Brasil.

    Sobre a certificação halal

    A certificação Halal atesta a qualidade da produção, da confiabilidade, da rastreabilidade e do cumprimento dos requisitos de segurança em todo o seu processo. Abrange desde a matéria-prima, todo o processo de produção, higienização, rastreabilidade, armazenagem e transporte. Pode ser aplicada a qualquer categoria de empresa, por exemplo, pecuária, agricultura, serviços de alimentação (hotéis e restaurantes), transporte, têxtil, indústria química e bioquímica, embalagens, cosméticos, produtos de origem animal perecível ou de longa vida, transporte e armazenagem, dentre outros. Embora a concentração de muçulmanos seja maior no Oriente Médio, existem quase 1.8 bilhão de muçulmanos em todo o mundo que consomem produtos que são certificados halal.

    Cdial Halal 

    É a única certificadora da América Latina acreditada pelos principais órgãos oficiais dos Emirados Árabes (EIAC) e do Golfo (GAC), o que confere seriedade e competência nos segmentos que atua. Também é a primeira da América Latina a conquistar a categoria “N” para cosméticos e fármacos. Esta certificação é aceita em todo o mundo, inclusive nos países de maior população muçulmana como Malásia, Indonésia, Singapura e Golfo Pérsico (ou Golfo Árabe).

    PLOX BRASIL © Copyright 2008 - 2021[email protected]