Polícia Federal faz operação para desmantelar fábrica de álcool gel falsificado em MG

A própria Polícia Federal havia comprado o produto e, após perícia, comprovou que não apresentava resultado

Por Plox

01/12/2020 11h50 - Atualizado há cerca de 2 meses

Quatro mandados de busca e apreensão estão sendo cumpridos pela Polícia Federal de Minas Gerais contra empresas que estariam fraudando álcool em gel. O produto é usado para combater a contaminação de Covid-19 e, por causa da pandemia, o setor movimenta uma grande quantia de dinheiro.

As ações estão ocorrendo na capital do estado, Belo Horizonte e em São José da Lapa, na Região Metropolitana da capital. Segundo a PF, há indícios de que os produtos comercializados por esses fabricantes não sejam eficazes. Se comprovado, isso configura crime contra à saúde pública.

A operação foi desencadeada em agosto, na capital do estado do Rio Grande do Sul, Porto Alegre (RS), após a corporação daquele estado  ter constatado que o álcool gel comprado para uso dos agentes não atendia às exigências medicinais. Por meio de perícia, a PF comprovou a adulteração do produto.

 

O álcool em gel  é usado para combater a contaminação de Covid-19 -  Foto: plox



Como a origem dos produtos adquiridos pela Polícia Federal era Minas Gerais, o caso passou a ser apurado pelos policiais do estado. As especificações técnicas de rotulagem não coincidiam com a  ineficácia apresentada pelo produto.

A 35ª Vara Criminal da Justiça Federal em Belo Horizonte  foi responsável pela expedição dos mandados. 

Os responsáveis pela fabricação podem ser presos caso se comprovem as suspeitas de adulteração ou alteração de produto destinado a fins terapêuticos ou medicinais, e estelionato.


Nesses casos, as penas podem chegar a 15 anos de prisão para o primeiro caso e 7 anos de prisão para o estelionato.
 

PLOX BRASIL © Copyright 2008 - 2021