Mulher denuncia ex-companheiro por agressões e perseguição em Timóteo

Após anos de violência, vítima busca medida protetiva e revela perseguição no trabalho

Por Plox

02/02/2024 09h24 - Atualizado há 4 meses

Em Timóteo, uma mulher identificada pelas iniciais L.L.F. denunciou seu ex-companheiro, G.S.G., por uma série de agressões físicas e psicológicas que se estenderam por aproximadamente três anos. A denúncia foi feita após a vítima decidir romper o silêncio sobre o ciclo de violência vivenciado durante e após o relacionamento com o pai de sua filha de um ano. Segundo relatos da vítima à Polícia, as agressões começaram a ocorrer no segundo ano de convivência do casal e se intensificaram ao ponto de L.L.F. ser agredida durante a gravidez e no período de resguardo.

A situação alarmante veio à tona quando a mãe da vítima presenciou uma das agressões. Após decidir se separar e retornar para a casa de sua mãe, L.L.F. enfrentou uma nova forma de violência: a perseguição. G.S.G. teria solicitado à gerência do supermercado onde ambos trabalham a coincidência de horários, forçando encontros indesejados e mantendo a vigilância constante sobre a vítima. Em um episódio recente, ocorrido no dia 30 de janeiro, a vítima foi atacada por G.S.G. na rodoviária de Ipatinga, sendo arrastada e agredida após sair do trabalho.

Além da violência física, L.L.F. relatou preocupações com o tratamento dispensado à filha quando sob os cuidados do pai, incluindo o desconforto com a criança sendo banhada pelo avô paterno. A denúncia abrangeu também agressões psicológicas e ameaças, cujos registros em áudio foram apagados pelo agressor em uma das ocasiões em que conseguiu acesso ao celular da vítima.

Diante da gravidade dos fatos, L.L.F. solicitou à Justiça a emissão de uma medida protetiva e está recebendo suporte do Serviço de Acompanhamento da PPVD de Ipatinga.

Destaques