Romeu Zema expressa preocupação com justiça brasileira em caso Bolsonaro

Governador de Minas teme parcialidade em investigação sobre tentativa de golpe e defende ex-presidente.

Por Plox

02/03/2024 13h56 - Atualizado há cerca de 1 mês

Em entrevista concedida ao Estadão, o governador de Minas Gerais, Romeu Zema, do partido Novo, compartilhou suas inquietações quanto à imparcialidade da Justiça brasileira, especialmente em relação às investigações que envolvem o ex-presidente Jair Bolsonaro e aliados por suposta tentativa de golpe de Estado. A Polícia Federal está à frente do inquérito, que está sob supervisão do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Alexandre de Moraes.

Agencia Brasil/ Agencia Minas

Zema, ao dialogar sobre o tema, expressou: "Eu sempre falo que quem não deve, não teme. Eu só temo que possa haver alguma parcialidade. Aí é que está a questão. A Justiça no Brasil, no meu entender, tem demonstrado que, muitas vezes, tem julgado de acordo com interesses políticos e não de acordo com a lei". Esta declaração vem em um momento onde o governador critica o governo de Luiz Inácio Lula da Silva por considerar que este gasta mais do que arrecada, ao mesmo tempo em que elogia a administração de Bolsonaro, ressaltando avanços como o acordo para a expansão do metrô de Belo Horizonte, redução da criminalidade e medidas que, segundo ele, fomentaram o crescimento econômico do Brasil.

Além disso, Zema fez referência à sua presença em um ato na Avenida Paulista, convocado por Bolsonaro, justificando-a como uma forma de apoiar o ex-presidente, que, na sua visão, trouxe grandes melhorias para Minas Gerais. Ele aproveitou a ocasião para rebater críticas do ministro de Relações Institucionais, Alexandre Padilha (PT), enfatizando que, enquanto outros falam, ele busca soluções práticas, e destacou os desafios enfrentados pelo estado durante a gestão de Fernando Pimentel (PT), marcada por atrasos salariais e problemas fiscais.

Destaques