Ipatinga

polícia

X FECHAR
ONDE VOCÊ ESTÁ?

    Jovem é presa por tentar atear fogo em boate de Ipatinga após ser expulsa por uso de drogas

    Mulher foi flagrada por segurança usando cocaína no banheiro e após ser retirada do local, jogou coquetel molotov na entrada do estabelecimento

    Por Plox

    02/07/2022 13h43 - Atualizado há cerca de 1 mês

    Uma jovem de 25 anos foi presa em flagrante na madrugada deste sábado (2) por tentar atear fogo em uma boate na avenida Monteiro Lobato, no bairro Cidade Nobre, em Ipatinga-MG. Segundo a PM, a mulher foi flagrada, por uma segurança, usando cocaína no banheiro. Ela foi retirada da casa noturna, e descontente, foi até o posto de combustíveis, comprou gasolina e jogou um coquetel molotov na entrada do estabelecimento. O fogo foi rapidamente apagado.

    Conforme informações da Polícia Militar, por volta de 2h20 os militares foram acionados para comparecerem à boate onde havia ocorrido um incêndio criminoso. No local, uma segurança do estabelecimento, de 27 anos, disse aos policiais que flagrou a autora fazendo o uso de cocaína dentro do banheiro feminino. Ao advertir a jovem, ela foi ameaçada pela autora que teria dito que iria matá-la. Neste momento, ela chamou apoio de mais alguns seguranças e conseguiram retirar a jovem da casa noturna.

    Foto: Reprodução Google Street View

     

    Irritada com o ocorrido, a jovem foi até o posto de combustíveis próximo ao local, comprou gasolina, preparou um coquetel molotov e retornou para a porta da boate. Ao avistar a segurança que a advertiu, ela arremessou o recipiente, mas não conseguiu acetar a mulher. No entanto, mesmo assim, ela usou uma caixa de fósforo e ateou fogo na entrada do estabelecimento. O fogo foi rapidamente apagado.

    A jovem fugiu pelas margens do Ribeirão Ipanema. Com as informações das características da autora, os policiais saíram em diligências e conseguiram localizá-la em meio ao matagal. No momento da abordagem, a jovem passou a desacatar os policias, relatando que era bandida do Rio de Janeiro e que estes “policias de merda, de Minas Gerais, não tinham moral para prendê-la”.

    Ela foi contida e algemada. Logo depois foi levada à UPA, onde foi atendida e liberada. Em seguida foi encaminhada à delegacia.
     

    PLOX BRASIL © Copyright 2008 - 2022[email protected]