Confusão em loja de Timóteo envolve cliente deficiente visual e funcionários

Abatimento parcial da dívida não garantiu o recibo do valor pago

Por Plox

02/12/2023 16h53 - Atualizado há 8 meses

  • Na tarde desta sexta-feira (1), por volta das 18:00 horas , uma loja localizada na Alameda Trinta e Um de Outubro, no centro norte de Timóteo, Minas Gerais, ocorreu o desentendimento entre uma cliente e funcionários. A Polícia Militar, do 2º PEL/85ª CIA PM/58º BPM/12ª RPM, foi acionada para intervir no atrito, que envolveu a cliente de 50 anos, e a gerente da loja, de 42 anos.
  •  
  • A cliente, que é deficiente visual, relatou aos policiais que havia negociado a quitação de uma dívida na loja, pagando R$500 como entrada e assinando dez promissórias para as parcelas restantes. No entanto, ao solicitar o recibo pelo valor pago, foi-lhe negado pela gerente, sob a justificativa de que o recibo só seria fornecido após o pagamento total da dívida. Diante da recusa, a cliente chamou a polícia, alegando sentir-se lesada pela loja.
Alameda 31 de outubro/Acesita/Timóteo - Foto: Divulgação - Google Maps
  • Por outro lado, a gerente Márcia afirmou que não houve qualquer negociação de dívida ou assinatura de promissórias. Segundo ela, Luciana queria efetuar o pagamento de R$500 como abatimento da dívida e exigia um recibo imediato, o que levou ao desentendimento e aos xingamentos por parte de cliente na presença de funcionários e clientes.
  • A filha da cliente, de 14 anos, confirmou a versão de sua mãe, reforçando que sua mãe pagou a entrada e assinou as promissórias, além de confirmar o destempero e os xingamentos da mãe contra a gerente e as funcionárias da loja.
  • Apesar do incidente, a gerente optou por não representar contra a cliente em relação à injúria sofrida, assinando um termo de desinteresse no registro policial. A loja não possuía sistema de câmeras de segurança em funcionamento no momento do incidente.
  • O caso foi encaminhado à 9ª Delegacia de Polícia Civil em Timóteo/MG, para as providências.
Destaques