Família de mineiro busca ajuda após ele morrer na guerra da Ucrânia

Marcello Monteiro Junior, que sonhava em servir no exército, morreu na Ucrânia, deixando sua família buscando assistência para trazer seus pertences.

Por Plox

02/12/2023 09h05 - Atualizado há 8 meses

Marcello Monteiro Junior, natural do Espírito Santo e considerado mineiro de coração, teve um trágico fim na Guerra da Ucrânia. Após ter o alistamento recusado no Exército brasileiro, Marcello mudou-se para Portugal e, com o início do conflito na Ucrânia em fevereiro de 2022, alistou-se como voluntário para ajudar a população local.

Arquivo Pessoal/Reprodução

Jornada de Marcello para a Ucrânia A vizinha e amiga de infância de Marcello, Lanuzza de Figueiredo, relata que ele sempre teve o sonho de lutar e defender seu país. Inicialmente, tentou alistar-se no Exército brasileiro, mas foi recusado devido à sua baixa estatura. Não desistindo, ele viu na Guerra da Ucrânia a oportunidade de realizar seu sonho. Marcello foi um dos cinco selecionados entre 30 candidatos para se juntar ao conflito.

A Última Vez que Marcello Deu Notícias A última vez que a família teve notícias de Marcello foi em 21 de novembro. Sua tia, Tatiana Macedo, relata que ele sempre avisava quando ia para zonas de combate. Após a data, Marcello parou de enviar mensagens, e a família recebeu a notícia de que ele estava morto e que seu corpo não foi encontrado.

Esforços da Família por Documentos e Pertences Atualmente, a família de Marcello busca ajuda para obter documentos que confirmem sua morte e para recuperar seus pertences. A embaixada ucraniana pediu documentos de Marcello e de todos os familiares, mas a família está incerta sobre como proceder, já que os documentos de Marcello estão na Ucrânia.

Orientações do Setor Consular de Kiev O Setor Consular de Kiev aconselha contra a entrada e permanência de cidadãos brasileiros na Ucrânia durante o conflito e a lei marcial. Eles também informam que não prestam informações sobre trabalho ou voluntariado no país.

Busca por Respostas A família de Marcello entrou em contato com a Embaixada da Ucrânia no Brasil e o Ministério das Relações Exteriores e aguarda uma resposta. A situação deixou a família chocada, arrasada e sem saber como proceder diante da perda.

Destaques