publicidade



Vale tem perda bilionária e enfrenta crise de imagem com tragédia em Brumadinho

03/02/2019

Companhia perdeu R$ 51 bilhões em valor de mercado desde o acidente e, segundo analistas, terá longo caminho para recuperar a imagem.

publicidade

 

Manifestantes protestam na sede da Vale, no Rio de Janeiro, após rompimento de barragem em Brumadinho (MG) — Foto: José Lucena/Estadão Conteúdo




Cinco aeroportos do país avisam sobre mala de mão grande a partir de hoje

24/04/2019

Bagagens que estiverem fora dos padrões determinados não poderão ir na cabine, mas devem ser despachadas, podendo ser cobrada taxa

publicidade

Os viajantes já podem começar a se atentar para o tamanho de suas bagagens de mão. Cinco aeroportos do país começarão uma fiscalização mais intensa a partir desta quarta-feira, 24 de abril, em terminais do Rio de Janeiro, São Paulo, Porto Alegre e Goiânia.

Neste momento, os alvos da fiscalização são os voos domésticos, nos seguintes aeroportos: Congonhas (SP), Santos Dumont e Galeão (RJ), Salgado Filho (Porto Alegre), e Santa Genoveva (Goiânia). Haverá orientações nesses terminais até o próximo dia 12 de maio. No dia seguinte (13), as bagagens que estiverem fora dos padrões determinados não poderão ir na cabine, mas devem ser despachadas, podendo ser cobrada taxa.


Impostômetro aponta que brasileiros já pagaram mais de R$ 800 bilhões em tributos em 2019

24/04/2019

Cada brasileiro precisa trabalhar mais de cinco meses para pagar impostos, aponta a ACSP

publicidade

Os brasileiros já pagaram mais de R$ 800 bilhões em impostos desde o início de 2019. O valor foi atingido nessa terça-feira (23), segundo cálculo do Impostômetro da Associação Comercial de São Paulo (ACSP).

Segundo o economista Marcel Solimeo, o valor corresponde ao total pago para a União, estados e municípios na forma de impostos, taxas, multas e contribuições.


Parte dos servidores de MG se surpreende com parcela menor do 13º; entenda

23/04/2019

O valor anunciado da escala anunciado como 'mínimo' era fixo e reduziu as cotas de quem tem salário superior a R$ 3,3 mil

publicidade

Anunciadas pelo governador de Minas Romeu Zema (NOVO) como parcelas mínimas para o escalonamento do 13º salário de 2018, as cotas de pagamento mensais definidas em fevereiro na verdade eram um valor fixo que reduziu os depósitos de quem tem vencimento superior a R$ 3,3 mil. Com isso, parte do funcionalismo foi surpreendida com os valores pagos em fevereiro, março e abril, que vieram abaixo do esperado. 
Governo de Minas chegou a informar que parcelas não cairiam para quem ganhava salários mais altos (foto: Tulio Santos EM / D.A Press)

No dia 28 de janeiro, Zema havia anunciado que pagaria o 13º salário que o ex-governador Fernando Pimentel (PT) deixou de creditar para o funcionalismo em 11 vezes, sendo parcelas iguais para todos. Atendendo a uma demanda dos funcionários que ganham salários mais baixos, de cerca de R$ 3 mil, mudou a escala e afirmou, no dia 8 de fevereiro que teria criado uma parcela mínima de R$ 300.

últimas notícias