Operação policial revela fraude em exames de legislação de trânsito em MG

Esquema envolve autoescolas e funcionários de unidade de atendimento, beneficiando ao menos 30 pessoas

Por Plox

03/04/2024 17h12 - Atualizado há 13 dias

Na manhã de quarta-feira (3), a Polícia Civil de Belo Horizonte mobilizou-se em uma ampla operação com o intuito de desmantelar um suposto esquema de fraude nos exames de legislação de trânsito. O foco dessa ação incidiu sobre sete alvos distintos, resultando na expedição e cumprimento de mandados de busca e apreensão em diversos locais.

Foto: Reprodução/Freepik

Detalhes da operação 

A operação visou uma autoescola sob suspeita, um funcionário de outra instituição semelhante, e cinco empregados terceirizados vinculados à Unidade de Atendimento Integrado (UAI), localizada na região de Venda Nova. Este é o local designado para a realização das provas de legislação necessárias tanto para a obtenção quanto para a renovação da Carteira Nacional de Habilitação (CNH), processo atualmente conduzido por meio eletrônico.

Mecânica do esquema fraudulento

 A fraude era orquestrada com a cooperação dos instrutores de autoescola, que sinalizavam aos funcionários da UAI os candidatos que haviam pago para serem auxiliados durante o exame. Um método particularmente astuto foi empregado para comunicar as respostas corretas aos examinandos: um fiscal, estrategicamente posicionado atrás do candidato, utilizava um apontador a laser para indicar a alternativa correta diretamente na tela do computador.

Este método foi corroborado por evidências encontradas durante as buscas, incluindo o próprio apontador a laser usado para facilitar a fraude, e por gravações de câmeras de segurança que capturaram a ação dos fiscais. De acordo com o delegado Gabriel Fonseca, da 1ª Delegacia de Polícia Civil de Venda Nova, a tática empregada pelos fiscais era executada com grande discrição: "Eles colocavam o apontador a laser debaixo do braço, levantavam o braço e apontavam na tela do computador qual era o gabarito daquela determinada questão", explicou.

A investigação identificou, até o momento, pelo menos 30 indivíduos beneficiados por esse esquema.

Destaques