Terremoto em Taiwan afeta produção de chips e pode ter impacto global

O sismo que abalou a ilha é o mais forte em 25 anos e causa preocupações na cadeia de suprimentos tecnológicos

Por Plox

03/04/2024 11h34 - Atualizado há 17 dias

Em 3 de abril de 2024, Taiwan foi atingido pelo terremoto mais potente dos últimos 25 anos, resultando na morte de pelo menos nove pessoas e na destruição de dezenas de prédios, especialmente no lado leste da ilha. Este evento não só trouxe tristeza e destruição mas também afetou significativamente a produção de semicondutores, impactando algumas das maiores fabricantes de chips do planeta. 

Foto: PLOX

Impacto na Economia Global e Tecnologia

Taiwan, reconhecido como líder mundial na produção de semicondutores avançados, desempenha um papel crucial na economia global, sendo responsável por mais da metade da produção de laptops, placas-mãe e dispositivos de rede. Analistas, em declarações à Bloomberg, alertam para as consequências do sismo, especialmente considerando que a fabricação de alguns chips exige operações contínuas. Interrupções, especialmente nas regiões industriais do norte da ilha, podem ter danificado parte da produção em curso.

Foto: reprodução TVBS

Cenário de destruição: O saldo do desastre inclui nove vítimas fatais e mais de 700 feridos. A estrutura da região foi fortemente abalada, com mais de 100 edifícios danificados ou colapsados. Imagens disseminadas pelas redes sociais revelam a extensão do caos, com construções arruinadas e veículos ao léu.

 

Foto: reprodução TVBS

Empresas Afetadas

TSMC (Taiwan Semiconductor Manufacturing Co.): A gigante na fabricação de chips, e fornecedora de empresas como Apple e Nvidia, foi uma das afetadas. A empresa realizou a evacuação de funcionários de algumas de suas instalações, estando no momento em processo de avaliação dos danos. Até o momento, todos os seus empregados estão seguros.

United Microelectronics Corp (UMC): Reportou a evacuação de instalações em Hsinchu e Tainan, além da interrupção de algumas de suas linhas de produção, trabalhando ativamente para retomar as operações.

Foto: reprodução TVBS

Acer: Por outro lado, a Acer, através do seu presidente e CEO, Jason Chen, informou que não observou impactos significativos em suas operações devido ao terremoto.

Reação do Mercado

O mercado financeiro reagiu de forma moderada ao desastre. O índice Taiex, que reflete o desempenho das ações no mercado de Taiwan, registrou uma queda de até 1%, alinhando-se posteriormente às tendências do índice MSCI Ásia-Pacífico. As ações da TSMC e da UMC experimentaram quedas em torno de 1%. O dólar taiwanês manteve sua estabilidade frente ao dólar americano, sem registrar variações significativas.

 

 

O sismo de magnitude 7,7, o mais intenso em duas décadas e meia, causou destruição significativa e preocupações em ampla escala. Taiwan enfrentou o terremoto mais poderoso dos últimos 25 anos, com uma magnitude de 7,7, conforme reportado pela Agência Meteorológica do Japão. O tremor teve seu epicentro na costa leste da ilha, trazendo consequências severas para a população e infraestrutura.

Destruição e Desaparecimentos

A força do terremoto resultou no colapso de pelo menos 26 edificações, com a cidade de Hualien sendo a mais afetada, onde mais da metade dos prédios desabaram. O cenário de destruição levou a que 77 pessoas ficassem presas entre os escombros, lutando por suas vidas em meio à catástrofe.

Adicionando à angústia, cerca de 50 indivíduos, na sua maioria turistas, que viajavam em quatro microônibus, foram reportados como desaparecidos, elevando o nível de urgência nas operações de busca e resgate.

Efeitos Além Fronteiras

Além da devastação direta, o terremoto trouxe consequências palpáveis para a capital, Taipei, onde parte da cidade experimentou cortes de energia, deixando cidadãos em estado de pânico, conforme ilustrado em vídeos que capturam o momento de terror vivido por passageiros dentro de um vagão do metrô.

O impacto do sismo transcendeu as fronteiras de Taiwan, gerando alertas de tsunami para ilhas do Japão e das Filipinas. Esses alertas, no entanto, foram posteriormente cancelados após cerca de três horas, mitigando temores de uma catástrofe ainda maior.

Ademais, o tremor foi sentido até em cidades costeiras da China, incluindo Xangai, demonstrando a vasta extensão do seu alcance.

Destaques