Chuvas continuam causando tragédias no Rio Grande do Sul

Com previsão de elevação contínua, a Defesa Civil emitiu um alerta de inundação extrema, instando os cidadãos a evitarem áreas próximas ao rio e locais de risco

Por Plox

03/05/2024 12h43 - Atualizado há 16 dias

O rio Guaíba alcançou um nível alarmante de 4,50 metros nesta sexta-feira em Porto Alegre, excedendo a marca histórica de 1941 e superando a cota de inundação estabelecida em 3 metros. Com previsão de elevação contínua, a Defesa Civil emitiu um alerta de inundação extrema, instando os cidadãos a evitarem áreas próximas ao rio e locais de risco. O alerta permanecerá ativo por 24 horas.

Impacto devastador
 

 

 

Foto: reprodução

 

Até o momento, as enchentes já resultaram em 32 mortes e 74 desaparecidos, com 56 feridos relatados pela Defesa Civil. Cerca de 24,2 mil pessoas foram forçadas a deixar suas casas, e a tragédia afeta 235 municípios, impactando diretamente 351,6 mil habitantes. 
 

Foto: reprodução


As águas invadiram ruas importantes e a estação rodoviária da cidade, interrompendo a maior parte das viagens de ônibus, conforme reportado por Jorge Rosa, gerente de operações da estação, que assegurou que os bilhetes já comprados permanecerão válidos.

Medidas emergenciais e prejuízos

Foto: reprodução

Em resposta imediata, o governo federal interditou o trânsito nas duas pontes sobre o Guaíba devido à elevação do nível do rio Jacuí e danos visíveis às estruturas, conforme anunciado pelo ministro dos Transportes, Renan Filho, ao blog da Ana Flor. 

Foto: reprodução

A Prefeitura de Porto Alegre decretou estado de calamidade pública e fechou as comportas do sistema de proteção contra enchentes. O Sport Club Internacional também fechou seu Centro de Treinamento, localizado próximo ao Guaíba, como medida preventiva.

Destaques