Vídeo: filha se pronuncia sobre fala de pai pastor que a teria lhe beijado na boca

Declaração do pastor Lucinho, da Igreja Batista da Lagoinha, é apurada pela Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente

Por Plox

03/05/2024 18h58 - Atualizado há 22 dias

A Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG) iniciou uma investigação sobre o pastor Lucinho, líder da Igreja Batista da Lagoinha, localizada na região Noroeste de Belo Horizonte. A apuração decorre de uma declaração feita por ele em um culto religioso, vídeo que viralizou nessa quinta-feira (02/05) nas redes sociais. No culto realizado em 15 de abril, transmitido pelo canal do YouTube da igreja, Lucinho mencionou ter dado um beijo na boca de sua filha enquanto ela estava "distraída".

Clique para assistir em vídeo

"Eu peguei minha filha um dia, dei beijo nela, falei que amava ela. Ela passava e eu dizia: Nossa, que mulherão. Ai se eu te pego. Um dia ela distraiu e eu dei um beijo na boca dela. E eu falei assim: Quando eu encontrar seu namorado, eu vou falar: Você é o segundo, eu já beijei", relatou o pastor durante a pregação. Esta fala rapidamente viralizou, gerando uma série de comentários negativos nas redes sociais, com muitos usuários apontando a inadequação e o potencial de incitar violência sexual.

 

Resposta pública
Após a repercussão das suas falas, o pastor gravou um vídeo dentro do banheiro de um avião e o publicou nas redes sociais na manhã desta sexta-feira (3), defendendo-se das acusações.

Ele explicou que seu comentário foi feito de maneira brincalhona durante uma pregação dirigida a homens, com o objetivo de discutir a paternidade e a autoestima dos filhos. "Eu estava pregando para homens, haviam mil homens e eu estava falando para eles da necessidade de levantar a autoestima dos filhos, que hoje têm sido muito atacados nessa área. E eu fiz um comentário brincalhão, quem conhece meu estilo de pregação sabe como é que eu sou. Eu brinco, faço uma pregação sempre leve, alegre", declarou o pastor, negando qualquer intenção além de um gesto de afeto inocente e puro.

O pastor lamentou a interpretação negativa de suas palavras e pediu desculpas àqueles que se sentiram ofendidos, reiterando seu compromisso contra a pedofilia e o abuso infantil. "Se você ficou entristecido com o que eu falei, eu te peço perdão. Mas estão tirando do contexto o que eu falei ali, e a única coisa que eu quis dizer é que nós, pais, temos que amar e cuidar, e beijar e abraçar os nossos filhos, dizer o quanto eles são maravilhosos. E o resultado deu certo, minha filha se tornou uma mulher maravilhosa, me deu um netinho lindo", concluiu.

 

Filha do pastor também se pronuncia
 

Foto: reprodução instagram


Em resposta às críticas, a filha do pastor, Emily Barreto, defendeu seu pai através de um vídeo em seu perfil do Instagram. Emily, que é mãe de um filho de um ano, esclareceu que as ações de seu pai nunca foram inadequadas e que se limitaram a "selinhos". "Meu pai nunca me beijou de língua, nunca fez nada comigo. Ele sempre me deu um bom exemplo de uma figura paterna maravilhosa porque eu sempre podia contar para ele as minhas decepções amorosas e ele sempre me ajudou", afirmou Emily, acrescentando que a declaração foi tirada de contexto.

Pastor Lucinho Barreto, da Igreja Batista da Lagoinha — Foto: Reprodução / YouTube

O pastor Lucinho Barreto possui formação acadêmica na área de teologia, sendo bacharel em Teologia Ministerial pelo Seminário Teológico Evangélico do Brasil (STEB) e mestre em Teologia pela Faculdade Teológica Sul Americana (FTSA) de Londrina, PR.
 

Destaques