Pai mata filho a facadas por medo de que ele cometesse atentado

03/06/2019 14:18

 Ex-embaixador e funcionário de alto escalão do Japão, Hideaki Kumazawa, de 76 anos, foi detido por apunhalar várias vezes seu filho

Publicidade

No último sábado (1), um ex-embaixador e funcionário de alto escalão do Japão, Hideaki Kumazawa, de 76 anos, foi detido por apunhalar várias vezes seu filho, Eiichiro, de 44 anos, na casa em que moravam por medo de que sua conduta o levasse prejudicar outras pessoas.

Em explicação aos investigadores, o ex-funcionário de alto escalão do Ministério de Agricultura, Pesca e Gestão Florestal e ex-embaixador na República Checa, Kumazawa acabou sendo levado pelo medo, após saber do ataque em Kawasaki, no sul de Tóquio, que foi cometido por um homem que tinha tendências ao isolamento social, e após esfaquear várias pessoas suicidou.

"Acredito que meu filho poderia prejudicar outros", disse Kumazawa, de acordo com fontes da investigação à agência local Kyodo,

(Foto: reprodução)
(Foto: reprodução)

Segundo pessoas que o conheciam, Eiichiro tinha uma vida social de isolamento e se mostrava violento em relação aos pais. Pai e filho haviam tido uma discussão horas antes do crime, pois Eiichiro teria ficado aborrecido com o barulho que vinha de uma competição de um colégio próximo.

A vítima foi achada deitada na cama com mais de dez facadas no tórax e no abdômen, seu próprio pai chamou a polícia. Em casa, a policia encontrou um bilhete supostamente escrito pelo pai, relatando suas intenções.

Por mais de dez anos, Eiichiro vivera sozinho na capital japonesa, mas no fim de maio por iniciativa própria retornou a casa dos pais.



Publicidade