Ipatinga

educação

X FECHAR
ONDE VOCÊ ESTÁ?

    Celeiro de redação: alunos do Vale do Aço têm as maiores médias do Enem no país

    Por Plox

    03/07/2020 18h50 - Atualizado há mais de 1 ano

    O Vale do Aço vive um fenômeno no que se trata de redações em concursos e principalmente no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Três escolas da região estão entre as cinco melhores médias de redação do Enem 2019, permitindo a região ser chamada de “celeiro de talentos” quando se trata de boas redações. Outras duas escolas também da região estão no “top 20” nacional, ao se falar da média da redação do último Enem. 

    O Colégio Fibonacci de Ipatinga-MG, por exemplo, teve a maior média de redação do Brasil no último exame, quando a nota média de seus alunos foi de 938.95. Outra escola de Ipatinga, a Escola Educação Criativa, ficou com a 3ª maior média nacional no último exame, 936.04.

    O Colégio Universitário Padre de Man, de Coronel Fabriciano-MG, obteve a 5ª maior média nacional na redação do Enem 2019, 932.34 pontos. 

    Também podemos destacar mais duas escolas da região, que ficaram entre as 20 maiores médias da redação do Enem 2019, o Instituto Educacional Mayrink Vieira e a Escola Sesi Rinaldo Campos Soares, ambas de Ipatinga, o que mostra ainda mais a capacidade dos alunos da região na produção de redações dissertativas. 

    A reportagem do PLOX conversou com a professora de redação Gisele Aquino de Faria, de 46 anos. Formada em letras pela Faculdade Pereira de Freitas. Gisele Aquino é a criadora de um método que, de acordo com ela, garante que o aluno obtenha a partir de 900 pontos na redação do Enem. 

    A professora atribuiu o sucesso dos alunos ao trabalho dos professores da região em estudar as provas. Gisele contou ao PLOX que, apesar dos colégios da região obterem notas consideradas muito altas no Enem 2018, eles conseguiram melhorar ainda mais os resultados. “Achamos que não conseguiríamos, mas aumentamos as notas”, disse Gisele. 

    WhatsApp Image 2020-07-02 at 15.41.32 Foto: Arquivo Pessoal

     

    Gisele, que também dá aula particulares para alunos que não estão mais no ensino médio, disse que a média de sua “salinha” no último Enem foi por volta de 948 pontos na redação. Dois de seus alunos conseguiram a sonhada “nota mil” na redação, um no ano de 2017 e outro no ano de 2018.

    Perguntada sobre dicas para ir bem na redação do Enem, a professora pontuou que o mais importante é conhecer o exame. 
    “Primeira coisa é conhecer a prova. O Inep este ano disponibilizou o material do corretor, ou seja, liberou o segredo para quem tiver interesse. Além de, desde 2012, disponibilizar o manual do aluno. Outra dica é treinar, o ponto alto para obter nota alta é o treinamento”, conclui Gisele. 

    Alunos “nota mil”

    O PLOX conversou com os dois alunos “nota mil” da professora Gisele Aquino. Eles são Maria Beatriz Neves Gonçalves e Raul Viana Ferreira de Rezende, ambos de 22 anos, que são hoje estudantes de medicina. 

    Nota mil na redação do Enem de 2017, Maria Beatriz, que na época morava em Ipatinga-MG, contou ao PLOX que maximizar sua nota na redação sempre foi um sonho. Apesar de tirar 940 na redação nas duas primeiras tentativas, Maria Beatriz não havia conseguido ainda sua tão sonhada vaga para cursar medicina. 

    WhatsApp Image 2020-07-02 at 18.21.42 Foto: Arquivo Pessoal

     

    “Bom, eu já estava no meu terceiro ano de tentativas. Fazia cursinho e, desde o meu primeiro ano, conheci a Gisele e passei a fazer salinha de redação com ela. Nesse tempo, enquanto estudava bastante e treinava as questões do Enem, a ‘Gi’ me ajudou a lapidar a minha escrita. Sempre tive facilidade pra escrever e com a didática dela fui aprimorando”, contou a futura médica. 

    Tirar nota mil na redação do Enem jamais foi uma tarefa fácil. Uma prova disso é que em 2017, com o tema “desafios para a formação educacional de surdos no Brasil”, apenas 53 pessoas maximizaram a nota no exame. Maria Beatriz contou como era sua rotina de estudos, que apesar de dura, era necessária para conseguir o tão sonhado mil na redação. 

    “Eu escrevia cerca de 3 redações por semana, duas propostas pela salinha da Gisele e uma do cursinho normal, além das redações dos simulados e tal. Acho que a questão foi encontrar o meu melhor jeito de escrever, ler bastante sobre diversos assuntos, saber o que o corretor espera, conhecer as competências”, contou Maria Beatriz. 

    Apesar de estudar tanto, Beatriz disse que não esperava a nota máxima, tanto que chegou a se ajoelhar ao ver que realmente havia conseguido obter o tão sonhado 1000.  

    “Eu esperava pelo menos tirar mais que nos anos anteriores, esperava um 960 talvez, mas o mil não. Quando a nota saiu eu achei que era mentira, tanto que saí e entrei mais de uma vez  na página pra ver se era real mesmo. Até hoje, mesmo depois de muito tempo, fico sem acreditar. Eu gritei minha mãe, falando que eu tinha tirado mil na redação, ajoelhei no chão chorando e agradecendo à Deus. Depois liguei pro meu pai. Meus pais sempre souberam o quanto eu queria isso, eu brincava que seria entrevistada se tirasse mil”, disse a estudante. 

    Quase no quinto período de medicina na Faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais (FCMMG), Maria Beatriz deixou uma dica para quem almeja o tão sonhado mil: “escrever muitas redações dos mais variados temas, estar sempre atualizado sobre as notícias, estudar as outras matérias também, porque assim a gente vai aumentando nosso conhecimento de mundo, além de conhecer as competências cobradas na redação. E ter fé”, concluiu. 

    Nota mil em 2018, Raul Rezende é natural de Coronel Fabriciano-MG e, à época, morava em Inhapim-MG. Raul faz parte do grupo de 55 participantes que tiraram a nota máxima na redação de 2018, que contou com mais de 4 milhões de participantes. 

    WhatsApp Image 2020-07-02 at 17.44.39 Foto: Arquivo Pessoal

     

    A rotina de estudos de Raul, como não poderia ser diferente, também era bem intensa. “Eu tinha aula de manhã, estudava toda a tarde e aula de redação separada toda semana, uma vez por semana com a Gisele”, contou o estudante do segundo período de medicina da Universidade Federal de Juiz de Fora, no campus de Governador Valadares (UFJF-GV). 

    Apesar de ter se preparado bastante, Raul disse que jamais imaginou que tiraria a nota máxima na redação. 

    “Sou muito inseguro. Mas apesar disso, me senti confiante em relação à redação, porque eu havia me preparado muito bem. Tinha lido bastante sobre tudo num geral, decorado muitos tópicos importantes. E, com isso, eu estava esperando uma nota alta, confesso, mas mil, jamais”, disse Raul ao PLOX. 

    Após ver que havia obtido a nota máxima, a reação de Raul também não poderia ser outra: “surpresa, choque. Eu não acreditei, comecei a gritar, pular. Foi maravilhoso!”, disse. 

    PLOX BRASIL © Copyright 2008 - 2021[email protected]