Capes corta 5, 6 mil bolsas de pesquisa de setembro até dezembro

03/09/2019 07:48

Em Minas Gerais, 10.037 estudantes são beneficiados com as bolsas, sendo o quarto estado com mais bolsas no país

Publicidade

O Ministério da Educação (MEC) anunciou nessa segunda-feira, 2 de setembro, que até dezembro deste ano foram suspensas 5 613 mil bolsas que seriam concedidas pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes). As suspensões começam a partir deste mês de setembro e englobam mestrado, doutorado e pós-doutorado.

No estado de Minas Gerais, 10.037 estudantes são beneficiados com as bolsas, sendo o quarto estado com mais bolsas no país. Anderson Correia, presidente da Capes, disse que “devido ao contingenciamento já anunciado para o orçamento da coordenação, será necessário congelar 1,94% do total (de bolsas) para este ano, preservando-se parcela principal dos benefícios”. O congelamento tem o objetivo de assegurar o pagamento de todos os bolsistas já cadastrados no sistema. Eles não serão impactados pelos cortes, como afirmou.

Pesquisador

Minas Gerais é o quarto estado com maior número de bolsistas- Foto: Reprodução

Serão economizados R$ 37,8 milhões para 2019, alcançando R$ 544 milhões nos próximos quatro anos, levando em conta o período de vida útil das bolsas, conforme Anderson, que afirma: “O MEC e a Capes buscam alternativas para recompor o orçamento de 2020. Todas as possibilidades estão sendo estudadas com objetivo de garantir o funcionamento do serviço”. A Capes teria em 2019 R$ 4,25 bilhões, pela Lei Orçamentária Anual (LOA). Já para 2020, a estimativa é de pouco acima da metade, cerca de R$ 2,2 bilhões. 

Números

De acordo com Anderson, “todas as possibilidades estão sendo estudadas com objetivo de garantir o funcionamento do serviço”. O Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) havia anunciado dificuldades financeiras na semana passada. A Capes e o CNPq têm 211.84 bolsistas em atividade. Desse quantitativo, 92.680 são da pós-graduação. 

São Paulo é o estado com mais bolsistas, somando 24.898 estudantes, atrás vem o Rio de Janeiro, com 11.494 beneficiados, sem seguida, o Rio Grande do Sul conta com 10.817 estudantes. Esses três estados, além de Minas Gerais, contabilizam juntos 56,5% do total de bolsas no Brasil. O Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, encabeçado por Marcos Pontes, busca solução para o problema junto ao Ministério da Economia e a Casa Civil.

Atualizada às 8h52



Publicidade