Jogador prestes a casar é acusado de não registrar filha fora do relacionamento

03/10/2019 08:03

Walace Souza fez exame de DNA e resultado da paternidade foi positivo

Publicidade

O jogador Walace Souza é acusado pela modelo Priscila Santana de não querer registrar a criança que seria filha dele. O atleta atua pelo Udinese da Itália e já jogou pela Seleção Brasileira. Walace está com casamento marcado para dezembro deste ano e tem dois filhos com sua noiva, Camila Trindade.

O volante teria conhecido Priscila em novembro de 2018, através de um jogador famoso em comum, quando ele treinava pela seleção em Londres. Na ocasião, Priscila estudava naquele país, e segundo afirmou, apesar de não ficou muitas vezes com o jogador, em dois meses engravidou. Um exame de DNA teria afirmado que o atleta é o pai da criança. De lá para cá, a modelo tenta fazer com que o esportista registre a filha. Ainda conforme Priscila, Walace fazia “pressão psicológica” e pedia que ela fizesse aborto quando estava com sete meses de gravidez: “Ele me propôs fazer uma cirurgia e tirar. Segundo ele, a criança acabaria com sua vida pessoal". A modelo acionou a Justiça para que o jogador reconheça a paternidade obrigatoriamente. 

Priscila Santana teve um filho com Walace Souza - reprodução Instagram

Foto: Instagram/Reprodução

"Walace é uma pessoa muito difícil, pois ele está se escondendo. Ele mente muito. Não dá para saber o que é verdade, pois na noite que o conheci, ele me disse que era solteiro. Por isso aceitei ter o relacionamento com ele. Mesmo com o DNA positivo ele contratou uma advogada para pedir um novo exame e conseguir empurrar com a barriga para o tempo passar. Eles pedem um novo exame, mas até agora ele não veio ao Brasil para repetir o teste de paternidade. Enquanto isso minha filha está sem os direitos dela. Enquanto ele banca uma vida de luxo para seus dois filhos. Eu, inclusive, abri um boletim de ocorrência contra ele por abandono da família, porque na minha gestação eu deixei ele ciente de que eu só havia me relacionado com ele e que o bebê era dele. Mas ele não ajudou com qualquer despesa que eu tive na minha gravidez, muito menos agora já com o DNA positivo em mãos. Tive dificuldades financeiras durante toda a minha gestação, dependendo da ajuda de amigos para manter a mim e a minha filha que nasceu com a saúde fragilizada e mesmo assim ele não quis saber qualquer informação sobre a saúde dela atual ou contribuir com o pagamento do tratamento”, contou Priscila, em entrevista à colunista Fabia Oliveira.



Publicidade