Ipatinga

acontece

X FECHAR
ONDE VOCÊ ESTÁ?

    Uso de cigarros eletrônicos evidencia busca pela fama e prejudica saúde e carreiras, diz especialista

    Helton Lucas, consultor musical, comenta sobre a adoção de comportamentos de risco por artistas

    Por Plox

    04/01/2022 16h32 - Atualizado há 7 meses

    Recentemente, o Brasil levou um susto quando o cantor Zé Neto, teve que se afastar dos palcos por conta de uma condição pulmonar conhecida como “vidro fosco”. A lesão nos pulmões, que causa falta de ar, é relacionada a utilização dos ‘vapes’ ou ‘cigarros eletrônicos’ que tem sido uma grande febre entre os jovens, mesmo após ter tido a propaganda e a comercialização proibidas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA).

    Helton Lucas, radialista e consultor musical, chama atenção para a adoção de comportamentos por diversos artistas para se sentirem incluídos nas tendências, mesmo que estas apresentem riscos à saúde. “Considero essa prática de certa forma irresponsável com a carreira. O artista tem que se basear em algo sólido. Moda? A moda nunca foi sólida o suficiente para se manter de pé por muito tempo, sempre foi se modificando”, explica.

    O especialista aconselha que o artista deve atrair o público pelo conteúdo de seu trabalho e não pela parte superficial demonstrada para os fãs. “Usar esses cigarros além de fazer mal a saúde não atrai o público, todo e qualquer artista atrai o público pelo seu talento e não por uma moda qualquer, e isso tem que ser entendido de vez”, pontua.

    O consultor musical defende ainda que a mídia e a imagem dos artistas de todos os nichos seja trabalhada de forma mais saudável, prezando sempre pela saúde do profissional e pela veracidade e profundidade de conteúdo. “Você não vai conseguir mais fãs por usar uma roupa ‘x’ ou fumar um cigarro eletrônico. Vai conseguir através das suas músicas. Tem tantos artistas que fizeram sucesso através de vídeos cantando na internet e nunca precisaram cometer exageros para a fama chegar”, relembra.

    Por fim, o especialista afirma que a fama é consequência de um trabalho bem feito e não um objetivo a ser atingido sem considerar os riscos envolvidos em todos os aspectos. “Não se compra a fama, pois é algo que se conquista com o tempo e esse tempo deve ser respeitado”, pontua.

    PLOX BRASIL © Copyright 2008 - 2022[email protected]br