Pastor investigado por beijar filha também já causou controvérsia ao "cheirar" Bíblia

Declarações polêmicas e ações controversas estão no centro das investigações envolvendo líder religioso de Belo Horizonte

Por Plox

04/05/2024 12h27 - Atualizado há 17 dias

A Polícia Civil de Minas Gerais está conduzindo uma investigação sobre Lucinho Barreto, pastor da Igreja Batista da Lagoinha situada na região Noroeste de Belo Horizonte. A apuração se deve a uma declaração feita por ele durante um culto, na qual afirmou ter beijado sua filha na boca enquanto ela estava distraída. Este comentário gerou um grande desconforto e motivou a investigação das autoridades.

No entanto, essa não é a primeira vez que o pastor Lucinho se envolve em controvérsias. Em um episódio anterior, especificamente em 2012, ele já havia chamado a atenção ao postar uma foto em que aparecia "cheirando" uma Bíblia. O gesto foi parte de um convite para um culto voltado ao público jovem e tinha o objetivo de simbolizar que a religião pode ser tão atraente quanto festas e drogas, segundo o pastor. A imagem foi amplamente compartilhada nas redes sociais, gerando uma variedade de reações, incluindo piadas e trocadilhos.

Destaques