Inaugurada central de inteligência para apoiar segurança no Rio

Nova parceria entre a Prefeitura do Rio e o Disque Denúncia inclui utilização de radares em cercos eletrônicos.

Por Plox

04/06/2024 10h07 - Atualizado há cerca de 1 mês

A Prefeitura do Rio de Janeiro inaugurou nesta terça-feira (4) a Central de Inteligência, Vigilância e Tecnologia de Apoio à Segurança Pública (Civitas), dentro do Centro de Operações Rio (COR). Em colaboração com o Disque Denúncia, a nova central visa melhorar a eficácia das forças de segurança estaduais e municipais, fornecendo informações sobre várias ocorrências.

Foto: Reprodução/ TV Globo

Parceria com o Disque Denúncia

A principal novidade é a retomada do funcionamento 24 horas do Disque Denúncia, que havia sido interrompido em 2016. O serviço voltará a operar integralmente, recebendo denúncias de todo o Estado do Rio de Janeiro. "Desde 2016, deixamos de trabalhar 24 horas. Perdemos quase 200 mil denúncias no período, em torno de 320 denúncias por noite. A iniciativa da Prefeitura do Rio em apoiar o Disque Denúncia para voltar a operar em tempo integral é que vamos ter o pleno funcionamento para a população", afirmou Renato Almeida, coordenador do Disque Denúncia.

O prefeito Eduardo Paes, juntamente com Eduardo Cavaliere, secretário de Casa Civil, e Breno Carnevale, secretário de Ordem Pública, anunciou o início da operação da central. A prefeitura investirá R$ 7 milhões por ano para garantir o funcionamento contínuo do serviço.

Foto: Reprodução/ TV Globo

Uso de tecnologia para combater crimes

Uma das funções da Civitas será utilizar os radares de monitoramento de trânsito da CET-Rio em cercos eletrônicos, permitindo a verificação de placas de veículos e o uso das câmeras existentes na cidade para monitoramento. A expectativa é que essas medidas ajudem a reduzir crimes e o roubo de cabos e equipamentos de sinais de trânsito.

"A cidade do Rio de Janeiro deve contar com 10 mil câmeras espalhadas pelas ruas até o fim do ano. De acordo com Eduardo Cavaliere, o custo mensal de reposição de cabos e luminárias é de R$ 1 milhão por mês," explicou Cavaliere. Em 2023, os furtos de sinais de trânsito custaram quase R$ 3 milhões aos cofres públicos, com 800 equipamentos roubados apenas na região de São Cristóvão, Vila Isabel e Tijuca.

Impacto na segurança pública

A central Civitas contará com 24 operadores e funcionará como um ponto de recebimento de informações e denúncias de diversas fontes, incluindo o sistema de Justiça. "Na central Civitas, a gente tem o fluxo de funcionamento com a essencial função de receber informações e denúncias por diferentes fontes, como o sistema de Justiça. No próprio Centro de Operações, já é diário de policiais civis que estão fazendo investigações e nos procuram em busca de câmeras,” disse Cavaliere.

O prefeito Eduardo Paes ressaltou a importância da central no apoio às ações de segurança pública, mencionando operações de ordenamento que combatem construções ilegais na Zona Oeste e iniciativas como o BRT Seguro, que reduziram crimes em mais de 90% desde sua implementação há três anos.

A central Civitas e a parceria com o Disque Denúncia representam um esforço significativo para melhorar a segurança pública no Rio de Janeiro, utilizando tecnologia e coordenação entre diferentes órgãos para enfrentar os desafios urbanos.

Destaques