Intercâmbio: turismo educacional oferece crescimento pessoal, mas também desafios emocionais

Crescimento pessoal e profissional são alguns dos benefícios, mas solidão e saudade da família são dificuldades comuns

Por Plox

04/06/2024 09h23 - Atualizado há cerca de 2 meses

O desejo de conhecer novas culturas e desenvolver habilidades pessoais leva muitas pessoas a optar por um intercâmbio. A psicóloga Érika Miranda explica que essa experiência pode ser uma oportunidade valiosa para o autoconhecimento e a redescoberta da própria identidade, especialmente ao ser exposto a diferentes metodologias educacionais. “Do ponto de vista acadêmico, pode ser uma experiência bastante enriquecedora, que, consequentemente, vai agregar uma melhora ao currículo, amplificando as oportunidades de emprego para o intercambista”, assinala Érika.

 

Vantagens do intercâmbio

Segundo Érika, a curiosidade e a vontade de expandir a mente são atributos comuns entre aqueles que escolhem fazer um intercâmbio. Aprender ou aperfeiçoar uma nova língua é frequentemente uma motivação principal. Pessoas criativas e receptivas à mudança tendem a valorizar a experiência de interagir com novas culturas e tradições. A psicóloga menciona ainda que, para muitos, o intercâmbio pode ser uma maneira de desenvolver a resiliência, tornar-se mais adaptável e fortalecer a autoestima ao enfrentar desafios longe de casa.

 

Desafios emocionais e sociais

No entanto, o intercâmbio também apresenta desafios significativos. A distância da família e dos amigos pode causar solidão e saudade, forçando os intercambistas a desenvolver mecanismos de adaptação. “A pessoa pode desenvolver a resiliência, tornar-se mais aberta às mudanças, ficar mais adaptável às circunstâncias que surgem no meio do caminho, e todo esse contexto fortalece a autoestima, pois a pessoa percebe que ela é capaz”, afirma Érika.

 

Impacto da pandemia e da era digital

A pandemia de Covid-19 teve um impacto notável na decisão de fazer intercâmbio. O medo de questões de saúde e a ansiedade aumentaram, levando muitas pessoas a reconsiderar suas escolhas. Além disso, a era digital trouxe novas formas de experimentar outras culturas sem sair de casa. Redes sociais e cursos online oferecem acesso a informações e aprendizado que, anteriormente, só poderiam ser obtidos através de viagens.

 

Redes sociais: aliadas ou vilãs?

As redes sociais têm uma influência significativa na decisão de fazer intercâmbio. Enquanto podem fornecer informações valiosas e dicas de influenciadores que já passaram pela experiência, também podem criar expectativas irreais e aumentar a ansiedade. Érika destaca a importância de pesquisar e se preparar, mas também de ter cautela com o que se encontra online. “As redes sociais podem influenciar para o bem e para o mal e se tornarem até um divisor de águas na decisão”, afirma ela.

 

Conclusão

O intercâmbio é uma experiência repleta de benefícios, como o autoconhecimento, a maturidade e o aprendizado de uma nova língua. No entanto, também envolve desafios, como a adaptação a uma nova cultura, a solidão e a saudade de casa. É crucial que os interessados considerem cuidadosamente todos os aspectos antes de tomar a decisão de embarcar nessa jornada.

Destaques