Operação Yoasi: PF investiga desvio de medicamentos destinados a crianças Yanomamis

Ação mira suspeitos que teriam desviado recursos voltados para comunidade indígena já afetada por crise humanitária.

Por Plox

04/10/2023 13h46 - Atualizado há 8 meses

Na manhã desta quarta-feira (4), a Polícia Federal iniciou a segunda fase da Operação Yoasi, voltada à investigação de um grupo suspeito de lavagem de dinheiro proveniente do desvio de medicamentos destinados ao povo Yanomami. Essa comunidade indígena, localizada em Roraima, enfrenta uma crise humanitária grave, com registros de fome e carência de assistência médica, situação que motivou a intervenção direta do governo federal.

Foram cumpridos quatro mandados de busca e apreensão na cidade de Boa Vista (RR), determinados pela 4ª Vara da Justiça Federal em Roraima.

(Foto: Agência Brasil)

Antecedentes da Operação

A primeira fase da Operação Yoasi, ocorrida em 30 de novembro de 2022, teve como foco a apuração de um esquema que supostamente deixou mais de 10 mil crianças Yanomamis sem acesso a medicamentos essenciais. Foi revelado que apenas 30% dos remédios adquiridos pelo Distrito Sanitário Especial Indígena Yanomami (DSEI-Y) foram efetivamente entregues à comunidade.

As investigações apontam que outros indivíduos teriam se envolvido nos crimes, realizando investimentos significativos em empresas suspeitas para mascarar a origem ilícita dos valores. Um dos investigados, previamente preso na Operação Hipóxia, que examinou o possível superfaturamento de oxigênio destinado aos Yanomamis, é acusado de transferir R$ 4 milhões para uma empresa ligada à Operação Yoasi.

O desenrolar das investigações ainda segue em curso, buscando esclarecer a extensão dos desvios e os envolvidos no esquema ilícito.

 


 

Destaques