HMC divulga balanço de 2018 e fala da dívida do Governo do Estado

05/01/2019 09:22

Os dados são voltados para o SUS

Publicidade

A Fundação São Francisco Xavier (FSFX) divulgou, nesta sexta-feira (4), o balanço das atividades realizadas em 2018, do período de janeiro a outubro, voltadas para o Sistema Único de Saúde (SUS). A Entidade também comentou, por meio de nota, a dívida com o Governo do Estado que ultrapassar os R$ 28 milhões.

Divulgação

DivulgaçãoDivulgação

Dívidas do Governo do Estado

Em 2018, parte dos recursos pactuados pelos atendimentos realizados por meio do Sistema Único de Saúde (SUS), em decorrência de o HMC ser referência para todos os atendimentos de alta complexidade da região (Trauma, Acidente Vascular Cerebral, Infartos, Oncologia, Gestação de Risco), não foram pagos. 

O Governo do Estado de Minas Gerais deixou de repassar R$ 28 milhões de reais à FSFX nos últimos três anos.

Mesmo com os atrasos e a permanente dívida do Governo do Estado, a FSFX se esforça para conseguir a manutenção dos atendimentos aos usuários do SUS no Hospital Márcio Cunha (HMC). 

No ano passado, após uma paralisação do corpo clínico do HMC, o próprio governador Fernando Pimentel, em audiência com a equipe do hospital, propôs uma agenda de pagamentos (R$ 1 milhão por semana), mas a proposta não foi cumprida.

A FSFX reforça a importância de que o novo governo abra uma agenda para negociação das dívidas, na tentativa de solucionar o problema e impedir qualquer prejuízo à população, que depende do atendimento do SUS.

Segundo o diretor executivo da Fundação São Francisco Xavier, Luís Márcio Araújo Ramos, o descumprimento das obrigações financeiras por parte do Governo do Estado fragiliza a credibilidade do Sistema Único de Saúde e expõe os usuários, trabalhadores, prestadores de serviços e o próprio HMC. "A dívida é relativa a procedimentos já realizados. O hospital já desembolsou os recursos para garantir os atendimentos à população e não recebeu por esses atendimentos. Isso é lamentável, mas estamos confiantes que o novo Governo do Estado possa construir e apresentar soluções para o problema", concluiu.


 



Publicidade