Equipe mineira 'Amigos Droids' vai disputar torneio mundial de robótica nos EUA

Após destaque no Festival Sesi de Educação, estudantes de Minas Gerais se preparam para competição internacional em abril

Por Plox

05/03/2024 07h57 - Atualizado há 3 meses

No último sábado (2/3), em Brasília, durante o encerramento do Festival Sesi de Educação, um dos maiores torneios de robótica da América Latina, foi anunciada a classificação da equipe mineira 'Amigos Droids' para a competição mundial de robótica. Este evento, realizado no Pavilhão de Exposições do Parque da Cidade, viu a participação de 265 equipes, consolidando o Brasil como o país com maior número de representantes na etapa internacional, que ocorrerá em abril deste ano, em Houston, nos Estados Unido

Foto: Divulgação

A competição nacional, que serviu como classificatória para o mundial organizado pela First, uma organização sem fins lucrativos, destacou-se por reunir mais de 2,5 mil estudantes de 9 a 17 anos, vindos de escolas públicas e privadas de todas as cinco regiões do Brasil. Os projetos apresentados abordaram inovações relacionadas ao mundo das artes, e a competição englobou quatro modalidades, variando desde protótipos em miniatura de carros de Fórmula 1 até robôs de grande porte.

 

Além do desenvolvimento técnico, o evento enfatizou a importância do trabalho em equipe, espírito competitivo, confiança e desempenho. Karina Icasatti, mãe de Marina Icasatti Leal Barbosa, uma das integrantes dos 'Amigos Droids', expressou seu entusiasmo com o aprendizado e crescimento pessoal de sua filha, destacando a maturidade e organização adquiridas durante a competição. "É uma emoção gigante, e os meninos aprendem a torcer não só pela categoria deles, mas pela equipe", comentou Karina, enfatizando a experiência enriquecedora de sua filha, que participou pela primeira vez de um evento nacional e passou vários dias longe da família.

No desafio que durou quatro dias, os participantes foram também encorajados a desenvolver um projeto de inovação que oferecesse soluções para problemas reais dentro da temática da Arte. A equipe de Marina optou por uma abordagem que une as práticas manuais do bordado à tecnologia, criando uma metodologia para resgatar e incentivar a arte de bordar, mostrando a versatilidade e o potencial da robótica em diferentes campos do conhecimento e da cultura.

 

 


 

Destaques