Quadrilha que gerou prejuízo de R$ 200 milhões no seguro-desemprego é desarticulada

05/06/2019 16:17

Desde 2015 até este ano, foi apurado que documentos foram falsificados e foram abertas empresas para respaldar a organização criminosa

Publicidade

A operação Mendacium II desarticulou uma quadrilha que envolvia diversas pessoas em abril deste ano. No total, 20 pessoas foram apontadas pelo Ministério Público Federal em São Paulo como sendo envolvidas em fraudes ao seguro-desemprego. Com as ações, a quadrilha gerou mais de R$ 200 milhões em perdas aos cofres públicos. 

APDF/DIVULGAÇÃO

Fraudadores usavam documentos falsos- Foto: Divulgação

Dessas, 10 pessoas estão presas preventivamente. Desde 2015 até este ano, foi apurado que documentos foram falsificados e foram abertas empresas para respaldar a organização criminosa. Por meio dos documentos adulterados, a quadrilha sacou de maneira fraudulenta acima de 13 mil parcelas de seguro-desemprego, além de criarem 408 empresas falsas. O grupo trabalhava com divisão de tarefas entre os membros.


A Procuradoria determina que além de os integrantes sejam presos por formação de quadrilha e pela prática de estelionato, o órgão exige a indenização de R$ 205,5 milhões aos cofres públicos. Uma ampla rede criminosa foi descoberta, usando firmas de fachada para vínculos empregatícios e demissionais mentirosos nos sistemas e do Ministério do Trabalho e da Previdência Social. De acordo com o Ministério Público, foram bloqueados mais de R$ 10,5 milhões em quantias de seguro-desemprego parceladas. Esses saques já estavam autorizados para liberar aos empregados de fachada. Com o bloqueio foi possível impedir mais prejuízos. Entretanto, o órgão aponta que as perdas promovidas ao erário público “são muitas vezes superiores aos descobertos até agora”.

Atualizada às 17h13



Publicidade