Região Metropolitana de BH tem 52 possíveis casos de febre maculosa investigados

05/06/2019 09:46

A doença pode ser muito difícil de diagnosticar em seus estágios iniciais

Publicidade

A Secretaria de Saúde de Belo Horizonte informou que houve notificação de 31 casos possíveis de febre maculosa na capital. Apesar disso, não ainda há confirmação. São investigadas 52 notificações na Região Metropolitana. Dois pacientes já morreram por conta da febre maculosa e mais duas mortes estão sendo apuradas. A doença é provocada pelo Amblyomma cajennense (carrapato-estrela) infectado. 

Em Belo Horizonte, na última década, houve a notificação de 494 casos. O indicativo histórico de notificação na capital é de 5%. Dos 494, somente 20 tiveram confirmação e houve nove mortes, totalizando 45%. A Secretaria de Saúde está monitorando e fazendo acompanhamento dos casos, com alerta aos trabalhadores da saúde no atendimento aos pacientes, além de realizar outros acionamentos. “As ações são constantemente avaliadas, considerando questões entomológicas e epidemiológicas e, dependendo do resultado do levantamento da vigilância, a Secretaria Municipal de Saúde recomenda intensificação das ações de prevenção, como capina”, disse a pasta.

Sintomas

A febre maculosa pode ser muito difícil de diagnosticar em seus estágios iniciais, mesmo por médicos experientes que estejam familiarizados com a doença. Os pacientes infectados devem procurar um médico na primeira semana da doença, depois de um período de incubação de aproximadamente 5 a 10 dias após a mordida do carrapato.
Os sintomas iniciais não são específicos e podem se assemelhar a uma variedade de outras doenças, infecciosas ou não. Os sintomas iniciais podem incluir: febre, náusea, vômitos, dor de cabeça severa, dores musculares e falta de apetite.

Atualizada às 11h11
 



Publicidade