Bolsonaro demonstra que novas conversas atribuídas a Moro não interferem em nada

05/07/2019 12:37

Tanto que eles eles pretendem ir juntos ao estádio do Maracanã para ver a partida entre Brasil e Peru, na final da Copa América

Publicidade

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) se posicionou a respeito de supostos novos vazamentos de mensagens do ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro. De acordo com o mandatário, a questão não influencia no relacionamento entre ambos, já que eles pretendem ir juntos ao estádio do Maracanã para ver a partida entre Brasil e Peru, na final da Copa América.

A disputa será no próximo domingo, 7 de julho. Bolsonaro informou: “Pretendo, domingo, não só ir assistir à final do Brasil com o Peru, bem como, se for possível, se a segurança permitir, irei com Sergio Moro junto ao gramado”. O presidente ainda passou ‘a bola’ para a população analisar a idoneidade do magistrado, em declaração nesta sexta-feira, 5: “O povo vai dizer se nós estamos certos ou não”, disse, depois de um evento em batalhão em Brasília.
O site The Intercept divulgou mensagens atribuídas ao então juiz federal Sergio Moro. As conversas com o coordenador da operação Lava-Jato em Curitiba, Deltan Dallagnol, teriam sido parciais e interferido nas investigações da força-tarefa, segundo o site de esquerda.

Depois da reportagem, Moro foi chamado a comparecer ao Senado para prestar esclarecimentos na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ), no dia 19 de junho, onde o ministro afirmou que “quem faz essas operações contra inteligência não é um adolescente com espinhas na frente do computador, mas sim um grupo criminoso estruturado" e que “vê o ato como uma tentativa de invalidar as condenações feitas por lavagem de dinheiro e corrupção”. Já na última terça-feira, 2, foi a vez dele comparecer à Câmara dos Deputados, onde disse que seu depoimento era o mesmo do Senado e que “não reconheço, mais uma vez, a autenticidade de um material que não tenho. O que se tem presente é que não tem nada ali de conteúdo ilícito”.

Atualizada às 14h30


 



Publicidade