Polícia aponta falha mecânica em protótipo da Fiat que acidentou e matou engenheiro

05/09/2019 07:45

O acidente tirou a vida de Ronaldo Dolabella, 50 anos, que estava de passageiro, e feriu gravemente o piloto de teste Fabrício Passos

Publicidade

Informações iniciais da Polícia Civil apontam que o protótipo da picape Volcano, envolvida em acidente, apresentava problema mecânico e estaria em velocidade acima do permitido na rodovia onde colidiu. O acidente tirou a vida do engenheiro mecânico Ronaldo Dolabella, de 50 anos, que estava de passageiro, e feriu gravemente o piloto de teste Fabrício Passos, no dia 28 de agosto, na Rodovia Régis Bittencourt (SP).  Ronaldo era casado e tinha um filho de dois anos.

Os dois eram funcionários da Fiat de Betim e estavam indo para a cidade catarinsense de São Joaquim, por motivos de trabalho. Fabrício teria descontrolado a direção e bateu contra um barranco. Além de os ocupantes não usarem capacetes, o carro não tinham airbag ou gaiolas, normalmente usadas em protótipos em rodovias. Outros veículos de teste da montadora viajavam em comboio. 

Engenheiro mecânico Ronaldo Dolabella, de 50 anos, deixou mulher e um filho de 2 anos (foto: Reprodução/Facebook)

Ronaldo Dolabella deixou esposa e uma filha de dois anos- Foto: Facebook/Reprodução

A Fiat Chrysler Automobiles (FCA) informou que os fatores que causaram o acidente “estão sendo averiguadas pelas autoridades”. Veículos produzidos a partir de 2013 têm que possuir airbag para o motorista e o passageiro, segundo o Contran. Ainda conforme a montadora, “os protótipos da FCA atendem as regulamentações vigentes”, além das legislações do país. 
 

Atualizada às 11h26



Publicidade