Exército e Marinha concluem investigações internas sobre atos de 8 de janeiro

Inquéritos internos resultam em punições disciplinares e procedimentos administrativos, reforçando compromisso com legalidade e transparência

Por Plox

06/01/2024 08h06 - Atualizado há 5 meses

O Exército Brasileiro finalizou as sindicâncias internas relativas aos atos de 8 de janeiro, afirmando não ter encontrado indícios de crime nos casos investigados. Após a apuração, duas punições disciplinares foram aplicadas a militares por transgressões na conduta e procedimentos durante os eventos no Palácio do Planalto. Além disso, quatro inquéritos policiais militares e quatro processos administrativos foram instaurados para averiguar possíveis crimes ou desvios de conduta, resultando na condenação de um coronel da reserva do Exército pela justiça militar.

Marcelo Casal Agência Brasil

Procedimentos Administrativos da Marinha Por sua vez, a Marinha também realizou procedimentos administrativos, envolvendo três militares: um oficial reformado fotografado em frente ao Congresso, um praça reformado preso pela Polícia Militar do Distrito Federal, cuja denúncia foi arquivada pela justiça militar, e uma praça da reserva, atualmente em liberdade provisória e ré em ação no Supremo Tribunal Federal. A Marinha reiterou sua conduta pautada na observância da legislação, valores éticos e transparência.

Posicionamento das Forças Armadas e Força Aérea Ambas as instituições, Exército e Marinha, destacaram seu compromisso com a legalidade e a transparência na prestação de informações à sociedade e no combate à desinformação. Até o fechamento desta reportagem, a Força Aérea Brasileira não havia se pronunciado sobre o assunto.

Destaques