A ausência das mulheres idosas nas praças públicas: uma reflexão sobre gênero e velhice

Estudo revela por que homens idosos dominam os espaços públicos de lazer enquanto mulheres permanecem envolvidas em afazeres domésticos.

Por Plox

06/02/2024 06h20 - Atualizado há 3 meses

Ao visitar praças em Contagem e Belo Horizonte, observa-se uma predominância de homens idosos ocupando esses espaços públicos, enquanto a presença feminina é notavelmente ausente. Este fenômeno levanta questionamentos sobre os papéis de gênero tradicionais e suas implicações na velhice. Homens, como Natalino Rochide e Marcílio Martins Rodrigues, encontram nas praças um refúgio para atividades de lazer e socialização. Em contrapartida, as mulheres idosas, conforme indicam dados do IBGE, dedicam quase o dobro do tempo que os homens a tarefas domésticas e cuidados com pessoas.

Esta disparidade sugere que, mesmo na terceira idade, as mulheres continuam a ser mais responsáveis pelo cuidado e pela manutenção do lar, um reflexo de uma vida inteira de condicionamento para esses papéis. Especialistas em saúde, como a médica geriatra Márcia Pagano e a psicóloga clínica Leni Oliveira, destacam as consequências dessa distribuição desigual de responsabilidades, que incluem sobrecarga física e mental para as mulheres idosas. Essa continuidade nos papéis de cuidado evidencia a persistência de estereótipos de gênero e a necessidade de abordagens que promovam um envelhecimento saudável e equitativo.

Papéis de Gênero e Saúde na Velhice

Especialistas apontam a importância de reconhecer e abordar a sobrecarga doméstica enfrentada por mulheres idosas, que pode afetar significativamente sua saúde física e mental. A médica Márcia Pagano ressalta a necessidade de suporte médico e orientações para aliviar essa carga, enquanto a psicóloga Leni Oliveira enfatiza a importância de desafiar os estereótipos de gênero para promover um envelhecimento mais feliz e ativo.

Importância da Atividade Social na Terceira Idade

A interação social e a participação em atividades de lazer são fundamentais para a saúde mental e física dos idosos. Tanto homens quanto mulheres se beneficiam de sair de casa e manter-se ativos, conforme destaca Pagano. Oliveira sugere que tanto mulheres jovens quanto idosas devem buscar atividades que lhes proporcionem satisfação pessoal e bem-estar, desafiando as expectativas tradicionais e priorizando sua saúde e felicidade.

 

Destaques