Complicações graves após preenchimento facial com PMMA

Balconista perde parte da boca e enfrenta desafios após procedimento estético mal-sucedido.

Por Plox

06/02/2024 11h31 - Atualizado há 4 meses

Mariana Michelini, uma balconista de farmácia de 35 anos, viveu uma experiência devastadora após se submeter a um procedimento de harmonização facial em dezembro de 2020, na cidade de Matão, São Paulo. Esperando melhorias estéticas por meio de injeções de ácido hialurônico, Mariana acabou recebendo polimetilmetacrilato (PMMA), resultando em graves complicações que levaram à perda de parte de sua boca e do queixo.

@mari_michelini/ Instagram

Descoberta e Reação

Seis meses após o procedimento, Mariana enfrentou uma reação alérgica séria, acordando com inchaço e dor intensa nos lábios e queixo. A situação piorou quando descobriu que, ao invés do ácido hialurônico prometido, foi injetado PMMA, um material plástico com aplicações específicas e não recomendado para a harmonização facial devido à sua natureza permanente e difícil remoção.

Consequências e Tratamento

As consequências para Mariana foram severas, incluindo intensa dor e a necessidade de múltiplas intervenções médicas. O tratamento envolveu antibióticos e corticoides, além de uma cirurgia para remover parte do lábio superior e do buço, afetando significativamente sua capacidade de comunicação e alimentação. Mariana relatou ao Metrópoles o impacto emocional e físico dessa experiência, expressando sentimentos de "tristeza, desespero, raiva".

Luta pela Recuperação

Recentemente, Mariana iniciou o processo de reconstrução labial, um passo crucial para recuperar a funcionalidade e a estética de sua boca. Embora essa cirurgia não represente uma solução definitiva, ela mantém esperanças de melhorar sua qualidade de vida.

Destaques