Idoso morre aguardando atendimento no hospital de Coronel Fabriciano

Família relata falta de assistência imediata; hospital promete investigação sobre possível falha humana

Por Plox

06/02/2024 09h41 - Atualizado há 4 meses

Em um episódio ocorrido no Hospital José Maria de Morais, em Coronel Fabriciano, José Andrade de Amorim, de 77 anos, morreu na cadeira de espera enquanto aguardava atendimento médico. O fato aconteceu na noite de segunda-feira (5), por volta das 20h20, após a família do paciente relatar várias tentativas frustradas de obter assistência médica para o idoso, que apresentava sintomas graves como vômito e suor frio, além de fortes dores abdominais.

Foto: reprodução Google Maps

 

De acordo com o boletim de ocorrência, o filho da vítima chegou com seu pai ao hospital às 17h20, e após a triagem, que ocorreu por volta das 18h00, José Andrade foi classificado com uma pulseira verde, indicativa de caso não urgente. Apesar dos sintomas e das repetidas solicitações do filho por atendimento imediato e um leito para o pai se deitar, a assistência médica não foi prestada a tempo. O idoso morreu na cadeira de espera, aproximadamente duas horas depois de sua chegada, sem ter recebido o cuidado necessário, conforme relatou o filho.

Ainda segundo o boletim, o diretor do hospital, Ernany de Oliveira Duque Junior, informou que tomou conhecimento do ocorrido e está conduzindo uma investigação para determinar se houve falha humana. A declaração de óbito apontou a hora da morte às 20h21 e categorizou a causa como "outras mortes súbitas de causa desconhecida".

Uma guarnição policial foi acionada para registrar a ocorrência e o hospital assegurou que providências serão tomadas caso seja confirmada qualquer falha no procedimento. 

NOTA DE ESCLARECIMENTO DA PREFEITURA DE CORONEL FABRICIANO

O Hospital Dr. José Maria Morais vem a público prestar esclarecimentos sobre o falecimento do Sr. J. A. A. de 77 anos. O paciente deu entrada na unidade hospitalar, no final da tarde de segunda-feira (5), com queixa de dor abdominal e fraqueza. Ele foi atendido pela equipe de triagem, apresentava dados vitais estáveis e foi classificado de acordo com o Protocolo de Manchester.

Durante o período de permanência no hospital, o paciente apresentou uma piora súbita sendo encaminhado ao box de emergência, onde foi constatada uma parada cardiorrespiratória. Foram realizadas todas as manobras possíveis e necessárias, porém sem sucesso.

O Hospital lamenta profundamente a morte do Sr. J. A. A. e se solidariza com a dor de familiares e amigos. Durante o atendimento ao paciente, o familiar que o acompanhava foi acolhido pela psicóloga de plantão.

Informamos que foi aberto um procedimento interno para apurar se houve eventuais falhas no processo de atendimento e apuração de responsabilidades.

Reafirmamos nosso compromisso com a transparência para com a população e os nossos esforços para sempre prestar um atendimento de qualidade. Esclarecemos ainda que para o atendimento de urgência e emergência temos 2 clínicos, atendimento pediátrico e um médico do trauma 24h/dia.

 

 


 

Destaques