Brasiléia pode ser realocada após enchente histórica no Acre

Autoridades propõem mudança da cidade para área mais elevada após inundação devastadora

Por Plox

06/03/2024 08h48 - Atualizado há 5 meses

A cidade de Brasiléia, localizada na fronteira com a Bolívia, enfrentou recentemente a maior enchente de sua história, com 75% de seu território inundado. O desastre natural, ocorrido entre o final de fevereiro e início de março, levou a prefeitura a solicitar a realocação da cidade para uma região mais alta, medida também apoiada pelo governador do Acre, Gladson Camelli.

Município de Assis Brasil, no Acre — Foto: Prefeitura de Assis Brasil

A Enchente sem Precedentes

Este evento climático extremo marcou Brasiléia com um nível de cheia do rio Acre jamais visto desde 1910, afetando profundamente a população local. Das 26 mil pessoas residentes no município, 15 mil foram afetadas, resultando em 1.276 desabrigados e 2.220 desalojados. A resposta imediata incluiu a montagem de 16 abrigos para acolher os atingidos e 17 prédios públicos sofreram com a alagação.

Frequência e Impacto das Cheias

A prefeita Fernanda Hansemm destacou que, embora as enchentes no rio Acre fossem eventos espaçados no passado, agora têm ocorrido com maior frequência e intensidade. Ela ressalta que esta é a quarta grande enchente que Brasiléia enfrenta em 12 anos, com cada nova ocorrência superando a anterior em magnitude.

Durante a visita dos ministros Marina Silva, do Meio Ambiente e Mudanças do Clima, e Waldez Góes, da Integração e do Desenvolvimento Regional, o governador Gladson Camelli reforçou a urgência de realocar o município para evitar futuras catástrofes. Ele propõe um planejamento colaborativo entre as três esferas de governo para viabilizar essa mudança estratégica.

Resposta ao Desastre e Apoio Federal

O governo federal, reconhecendo a gravidade da situação, considera decretar emergência climática permanente em 1.038 municípios vulneráveis, incluindo Brasiléia. A ministra Marina Silva, oriunda do Acre, afirmou que as enchentes são evidências claras dos efeitos das mudanças climáticas e destacou a importância de ações estruturantes e continuadas para preparar as cidades para enfrentar tais desafios.

Isolamento e Danos

A enchente deixou Brasiléia isolada, sem acesso por vias terrestres, sem água encanada e energia elétrica por períodos, além de destruir cerca de 20 pontes. A ponte para Epitaciolândia, única saída para o restante do Brasil, foi fechada devido à subida das águas.

Destaques