Crescimento expressivo na demanda de voos marca início de 2024

Aumento de 16,6% na demanda global de passageiros em janeiro impulsiona otimismo no setor aéreo

Por Plox

06/03/2024 10h20 - Atualizado há 5 meses

A demanda por viagens aéreas apresentou um expressivo aumento de 16,6% em janeiro de 2024, comparado ao mesmo período do ano anterior, sinalizando um forte início de ano para o setor de aviação, conforme divulgado pela Associação Internacional de Transportes Aéreos (Iata) nesta quarta-feira, 6. O crescimento vem acompanhado de um incremento de 14,1% na capacidade total das aeronaves, refletido em uma elevação da taxa de ocupação para 79,9%, o que representa um acréscimo de 1,7 ponto percentual.

O panorama internacional mostrou-se particularmente promissor, com um aumento de 20,8% na demanda e de 20,9% na capacidade, mantendo a taxa de ocupação praticamente estável em 79,7%. No cenário doméstico, o aumento de 10,4% na demanda e de 4,6% na capacidade resultou em uma significativa elevação da taxa de ocupação para 80,2%, indicando um crescimento robusto de 4,2 pontos percentuais.

 

O diretor-geral da Iata, Willie Walsh, destacou o início vigoroso de 2024, apesar das incertezas que marcam o cenário econômico e geopolítico atual. "O ano de 2024 teve um início forte", afirmou, reforçando o otimismo para o setor.

No que se refere às performances regionais, as companhias aéreas latino-americanas viram seu tráfego aumentar 9,9% em janeiro, comparado ao mesmo mês do ano anterior, com a capacidade subindo 5,5% e a taxa de ocupação alcançando 85%, um aumento de 3,4 pontos percentuais. Já as operadoras norte-americanas experimentaram um crescimento de 6% no tráfego, com um aumento de 4,1% na capacidade e uma elevação de 1,5 ponto percentual na taxa de ocupação, chegando a 79,9%.

 

Em contraste, as transportadoras europeias registraram um aumento de 10% no tráfego em janeiro de 2024, com a capacidade crescendo 9,6% e a taxa de ocupação avançando modestamente em 0,3 ponto percentual, para 78,2%. Por fim, as companhias aéreas da Ásia e do Pacífico destacaram-se com um surpreendente crescimento de 31,8% no tráfego, acompanhado de um aumento de 26,6% na capacidade e uma elevação de 3,2 pontos percentuais na taxa de ocupação, que alcançou 80,8%.

 

 

 


 

 

Destaques