Ministério Público da Espanha requer prisão de Carlo Ancelotti por fraude Fiscal

Técnico do Real Madrid é acusado de não declarar mais de um milhão de euros em rendimentos

Por Plox

06/03/2024 09h12 - Atualizado há 4 meses

Em uma ação que chamou atenção no cenário esportivo internacional, o Ministério Público (MP) de Madri anunciou, nesta quarta-feira (6), a intenção de solicitar a prisão de Carlo Ancelotti, técnico italiano do Real Madrid. A acusação, envolvendo uma suposta fraude fiscal superior a um milhão de euros (aproximadamente 5,3 milhões de reais), ocorre em um momento crítico, poucas horas antes do confronto decisivo do clube na Liga dos Campeões contra o RB Leipzig.

 

Foto: Reprodução de vídeo

Ancelotti, que liderou o Real Madrid em duas etapas distintas, sua primeira entre 2013 e 2015 e depois retornando ao comando em 2021, enfrenta alegações de ter evitado a declaração de seus rendimentos provenientes de direitos de imagem durante os anos de 2014 e 2015. O MP detalha que, apesar do treinador ter registrado seus ganhos como técnico do clube, omitiu intencionalmente receitas adicionais, incluindo aquelas de direitos de imagem e investimentos imobiliários.

O comunicado do Ministério Público esclarece a complexidade da estratégia adotada por Ancelotti, que teria utilizado uma estrutura empresarial intricada para mascarar esses rendimentos, recorrendo a entidades sem atividade efetiva fora da Espanha, visando a ocultação dessas cifras do fisco espanhol. Esta manobra fiscal, segundo o MP, evidencia uma tentativa deliberada de opacidade perante as autoridades fiscais do país.

Esta acusação surge no contexto de uma investigação que se estende por três anos, culminando agora com o pedido de condenação do treinador a quatro anos e nove meses de prisão. Ainda não há uma data definida para o julgamento, conforme informado à Agência France-Presse (AFP) pelo próprio Ministério Público.

Destaques