Palácio das Mangabeiras deixa de ser residência oficial de governadores mineiros

06/06/2019 15:07

Em vídeo, Zema descreveu o local como 'mansão das mordomias'

Publicidade

Residência oficial dos governadores de Minas Gerais desde a década de 1950, o Palácio das Mangabeiras não tem mais esse caráter de moradia. O governador Romeu Zema (Novo) assinou a determinação ontem, 5 de junho, e o documento foi divulgado no Diário oficial do Estado nesta quinta-feira, 6.

Palácio das Mangabeiras

Foto: Reprodução

Com isso, o imóvel é retirado do destino ao qual era proposto (moradia oficial) e passa a ser um bem do Estado, podendo ser doado, cedido ou comercializado. Portanto, se o governador resolver vender o palácio, a proposta deve ser encaminhada à Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) e os deputados devem autorizar a transação.

Em vídeo divulgado pouco tempo depois de ser eleito, Zema tinha dito que se o espaço não for viável economicamente, ele pode passar a ser um museu ou hotel através de concessão. Na gravação, ele descreveu o local como 'mansão das mordomias', pela suntuosidade, fazendo um paralelo com a situação financeira do Estado: “O primeiro ato que eu quero assinar como governador de Minas Gerais é transformar a residência oficial do governador, o Palácio das Mangabeiras, no ‘museu das mordomias’, para que todo mineiro veja como vive o imperador de Minas Gerais, um estado falido, que sequer tem dinheiro para estar pagando os seus professores, militares e aposentados pontualmente”, criticou. 

Romeu Zema mora desde o início de seu mandato em um aluguel pago de seu próprio bolso, numa casa nas proximidades da Pampulha, região nobre da capital. Até o momento, o chefe do Executivo mineiro ainda não definiu qual a destinação definitiva para o palácio.

Há informações de que a Casa Cor, uma dos maiores mostras de arquitetura e decoração das Américas, deve sediar o evento deste ano no Palácio das Mangabeiras, mas, a organização ainda está negociando. O encontro acontecerá entre o final de agosto e início de outubro.

Construção

O palácio foi inaugurado em 1955, durante o governo de Juscelino Kubitschek. O projeto é de Oscar Niemeyer, com jardins planejados por Roberto Burle Marx. Em governos posteriores, o local passou por expansão que alteraram a construção do projeto original. A residência foi construída na serra do Curral, no bairro Mangabeiras, na capital mineira. Todos os governadores de Minas moraram nele.

Atualizada às 18h58
 



Publicidade