Profissionais da saúde participam de capacitação sobre Sífilis

06/07/2019 11:54

Em Ipatinga, os casos da doença cresceram aproximadamente quatro vezes entre 2014 e 2018.

Publicidade

O aumento gradativo do número de casos de Sífilis, infecção sexualmente transmissível, em Ipatinga vem chamando a atenção das autoridades de Saúde. Em uma investigação realizada pelos profissionais do Departamento de Vigilância em Saúde (DEVS) da Prefeitura do município, foi constatado que o número de adultos contaminados com Sífilis Adquirida cresceu aproximadamente quatro vezes.

Em 2014, a cidade registrou 100 casos. Já em 2018, esse número subiu para 376. Já sobre Sífilis Congênita, que é a contaminação do feto pela placenta, os números são ainda mais alarmantes. Atualmente, o número de casos é cinco vezes maior, saindo de 19 casos em 2014, para 90 em 2018.  

Com o objetivo de preparar os profissionais para a abordagem do tema nas Unidades Básicas de Saúde, uma atualização foi realizada pelo Departamento de Vigilância em Saúde (DEVS) para médicos, enfermeiros, assistentes sociais e gerentes. O evento aconteceu no auditório do Hospital Municipal Eliane Martins (HMEM), no bairro Cidade Nobre, nesta semana. Nos próximos dias 10 e 11, uma nova capacitação será ministrada para todos os Agentes Comunitários de Saúde. 
 
“Precisamos combater a incidência da Sífilis, especialmente em gestantes, minimizando o número de casos em crianças. Nossos munícipes precisam entender que a doença é contraída por meio da atividade sexual desprotegida, ou seja, sem o uso de preservativo, e que existe tratamento e cura”, pontuou a palestrante do evento, a médica infectologista Carmelinda Lobato.
 
Segundo a enfermeira do DEVS, Carla Lage Barreto Mosci, o encontro serviu também para organizar os protocolos e fluxos de atendimento. “Os Agentes Comunitários de Saúde são os responsáveis pela busca ativa dos pacientes. Já médicos e enfermeiros realizam os testes rápidos, o acompanhamento do pré-natal, anotando as informações clínicas na caderneta da gestante, além do tratamento medicamentoso correto”, explicou.  
 

Foto: Divulgação/PMIsifilis

 



Publicidade