Minas Gerais em alerta com aumento de 31% nos casos de Covid-19 em outubro

Subvariante éris contribui para crescimento dos casos e especialistas recomendam vigilância

Por Plox

06/11/2023 14h06 - Atualizado há 8 meses

O estado de Minas Gerais registrou um acréscimo de 31% nos casos confirmados de Covid-19 no mês de outubro em relação a setembro, segundo a Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG). O número saltou de 12.286 para 16.102 infecções, destacando-se um cenário de preocupação diante da propagação da subvariante éris.

Impacto da Subvariante Éris O médico infectologista Estevão Urbano atribui o aumento de casos à nova subvariante da ômicron, a éris, que possui maior capacidade de transmissão. "Ela é muito mais transmissível e, em alguns casos, consegue superar as defesas obtidas pela vacina", afirma Urbano. Apesar da maior transmissibilidade, os vacinados tendem a apresentar formas menos graves da doença.

Análise de Mortalidade e Contágio Embora outubro tenha visto um aumento nos casos, setembro foi mais letal, com 70 mortes, em comparação com 65 óbitos em outubro. A tendência geral, no entanto, é de uma mortalidade bem abaixo dos picos de anos anteriores, com uma taxa de mortalidade atual de 4,42 a cada 100 mil habitantes.

Recomendações de Prevenção O especialista reforça a importância da continuidade das medidas preventivas como higienização e uso de máscaras, especialmente para proteger contra a chamada Covid longa, que traz sintomas prolongados após a infecção.

Cenário Vacinal em MG Gilmar Rodrigues, coordenador da SES-MG, aponta a baixa cobertura vacinal como uma questão crítica. Até o momento, apenas 17% da população mineira recebeu a vacina bivalente contra a Covid-19, distante da meta de 90% estipulada pelo Ministério da Saúde.

Chamada para Atualização Vacinal Rodrigues encoraja os cidadãos a verificarem seus esquemas vacinais e buscarem as doses pendentes para uma maior proteção, principalmente com a aproximação do fim do ano.

Medidas Locais de Proteção Na esteira do aumento dos casos, Santa Luzia impôs o uso obrigatório de máscaras para profissionais da saúde e pacientes com sintomas gripais. Urbano sugere que, embora a adesão pública a possíveis novas restrições possa ser baixa, reforçar a conscientização sobre medidas de cuidado é crucial.

Dados Estatísticos O perfil dos infectados em Minas Gerais indica uma prevalência em mulheres e em faixas etárias entre 40 e 49 anos. Belo Horizonte lidera o número de casos e óbitos no estado.

Destaques