Bandeira tarifária verde mantém contas de luz estáveis em janeiro

Apesar da estabilidade atual, previsões indicam possíveis aumentos ao longo do ano

Por Plox

07/01/2024 10h44 - Atualizado há 5 meses

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) anunciou, no dia 29 de dezembro, a manutenção da bandeira tarifária verde para o mês de janeiro. Essa decisão implica que os consumidores não enfrentarão custos extras em suas contas de luz, graças às condições favoráveis de geração de energia que persistem no Brasil. Desde abril de 2022, o país tem mantido a bandeira verde por 21 meses consecutivos, um sinal positivo após o período de escassez hídrica vivenciado entre setembro de 2021 e abril de 2022.

Marcelo Camargo Agência Brasil

Funcionamento das Bandeiras Tarifárias Criadas em 2015, as bandeiras tarifárias refletem os custos variáveis da geração de energia elétrica. Elas são indicadores do valor gasto pelo Sistema Interligado Nacional (SIN) para fornecer energia. Quando a bandeira está verde, não há acréscimo na conta de luz, diferentemente das bandeiras amarela e vermelha, que adicionam custos de R$ 2,989 a R$ 9,795 a cada 100 kWh consumidos.

Previsões e Aumentos Futuros Apesar da estabilidade atual, a Associação Brasileira dos Grandes Consumidores de Energia (Abrace) prevê um aumento médio nas contas de energia de 6,58%, chegando a 10,41% em algumas regiões. Estes aumentos, embora considerados normais devido ao reajuste anual, são superiores à inflação prevista para o ano, estimada em 4,53%. Os estados sob concessão das distribuidoras Equatorial Goiás, Alagoas e Cemig (Companhia Energética de Minas Gerais) podem enfrentar reajustes superiores, ultrapassando os 20%, 15% e 10%, respectivamente.

Destaques