Com pais desempregados, menino de 10 anos tenta ajudar sua família com pequenos gestos

07/05/2019 15:50

Davi tem ainda que conviver com a morte de um dos irmãos, o pequeno Emanoel, de 8 anos que tinha microcefalia e problema no coração

Publicidade

O pequeno Davi Cavalcante Vasconcelos, de 10 anos, enxerga o mundo com uma maturidade e positividade que encantam até mesmo os adultos. Morador de Senador Canedo, em Goiás, o menino vive com os pais e os irmãos mais novos, seguindo com muitas dificuldades. Os pais estão sem emprego e a família terá que desocupar a casa simples alugada em que moram, pois a dona do imóvel já pediu a liberação do local.

Mesmo com dificuldades, David não tira o sorriso do rosto  — Foto: TV Anhanguera/Reprodução

O pequeno Davi encanta a todos, mesmo vivenciando muitas dificuldades- Foto: Reprodução/TV Anhanguera

Diante da fome dos irmãos menores, ele foi à luta e conseguiu pão ‘dormido’ em uma padaria nas proximidades, partilhando o alimento com os pequenos. Mesmo com tantos desafios, Davi tem ainda que conviver com a morte de um dos irmãos, o pequeno Emanoel, de 8 anos que tinha microcefalia e problema no coração, na última sexta-feira, 3 de maio. Exatamente por conta da doença dele, a família saiu do estado do Pará, há oito meses para tratar a criança. O que ajudava no sustento da casa era o auxílio-doença de Emanoel, que acabava bancando o aluguel de R$ 400. Como o menino morreu, eles perderão o direito ao benefício.

Mão estendida

O diretor a escola onde Davi estuda, Jesiel Marcos de Souza descobriu a situação difícil da família e ajudou, doando alguns alimentos para eles. O educador comenta: “Nós percebemos que não é a condição financeira que faz o caráter, mas a essência. E a essência dele é linda, ele tem uma alma linda”, descreve.

Com apenas 10 anos, garoto ignora as dificuldades e encontra formas de ajudar pais e irmãos em Senador Canedo  — Foto: TV Anhanguera/Reprodução

Davi e a família terão que sair da casa em que moram -Foto: Reprodução/TV Anhanguera

Em busca de oportunidade

A mãe de Davi, Erlândia das Dores Cavalcante, e o pai, Mardônio Lima Vasconcelos, são os esteios da casa. Mardônio precisa de um emprego para conseguir sobreviver com a família. “Eu quero um trabalho, uma chance de aprender alguma profissão para sustentar minha família”, pede. Ainda que haja dificuldades, o pequeno Davi não deixa a essência de criança e cria seus próprios carrinhos: “Tem vez que eu pego lata de manteiga, pego canudo e faço a rodinha de tampa”, declara, sonhando com um carrinho de controle remoto.

 



Publicidade